sicnot

Perfil

Mundo

Capital da Venezuela regista mais de 80% de escassez de produtos básicos

Caracas, a cidade venezuelana mais bem abastecida no país, regista atualmente uma escassez de mais de 80% dos produtos básicos, segundo dados da empresa de análise de dados Datanálisis divulgados na sexta-feira.

© Marco Bello / Reuters


"Há um nível de escassez em Caracas, que no ano de 2016 é em media de 82,8%", disse o presidente da Datanálisis, durante uma conferência de imprensa, na cidade capital da Venezuela.

Vincando que "Caracas é a cidade mais bem abastecida do país" José Vicente León, que também é economista, explicou que a falta de abastecimento de produtos básicos continua acentuar-se nas mercearias e supermercados.

Esta situação, explicou, consolida o mercado negro como opção para atenuar as faltas, com 67% dos compradores caraquenhos a admitirem que acudiu à informalidade para conseguir coisas do cabaz básico.

Os dados fazem parte de um estudo realizado entre 6 e 16 de abril de 2016 que abrangeu 800 pessoas de diferentes níveis económicos, em oito cidades venezuelanos, e com uma margem de erro de 3,46%.

Segundo a Datanálisis, a nível doméstico, a escassez de produtos tem sido menor que nos comércios, mas essa situação tende a mudar, na sequência da crise económica venezuelana.

"Nos últimos meses temos visto um processo de deterioro exponencial de uma maneira realmente impressionante", disse.

Segundo o economista de momento é impossível calcular a inflação real na Venezuela, que é estimada pelos dados divulgados pelo Banco Central da Venezuela, com base nos preços oficiais dos estabelecimentos comerciais, mas a maioria dos venezuelanos faz compras a revendedores.

"Para uma pessoa comum, que não está no 'bachaqueo' (revenda ilegal de produtos), ir ao supermercado é não conseguir um produto", disse vincando que "no mercado negro o preço tem aumentado drasticamente".

No entanto, a Datanálisis prevê que a Venezuela terminará 2016 com uma inflação de 450% e uma redução de 40% no poder aquisitivo dos consumidores.

Os dados dão conta de que 86% da população responsabiliza o Presidente Nicolás Maduro e a sua equipa pela falta de abastecimento de produtos, enquanto que 71,8% não acredita que exista uma guerra económica no país, centrada em atacar a revolução bolivariana.

Lusa

  • "É fundamental apoiarmos as famílias portuguesas" na Venezuela
    3:23

    Mundo

    A tensão política e social que se vive na Venezuela faz com que alguns emigrantes portugueses queiram regressar à Madeira. O presidente do Governo Regional da Madeira, diz que é fundamental apoiar as famílias portuguesas e que a TAP deveria retomar a ligação direta entre Caracas e o Funchal. Miguel Albuquerque garante que a comunidade portuguesa na Venezuela está a ser acompanhada pelos consulados e apoiada pelos centros sociais.

  • Crise na Venezuela faz crescer mercado negro
    2:53

    Mundo

    Num clima de crescente tensão política e social, a economia paralela na Venezuela tem terreno fértil para crescer. Os enviados da SIC à Venezuela, Sofia Arede e Odacir Júnior estiveram hoje no mercado do Bairro de Petare, uma das maiores favelas do mundo e onde a luta pela sobrevivência corre paralela ao mercado negro.

  • Venezuelanos têm medo de um "banho de sangue"
    1:56

    Mundo

    A falta de alimentos e medicamentos e as longas filas à porta dos supermercados estão a preocupar os venezuelanos que têm receio que o país possa mergulhar numa crise profunda como a que viveu no final da década de 80. Segundo os relatos dos enviados especiais da SIC ao país vive-se um clima de terror e há receio de um "banho de sangue". A jornalista da SIC, Sofia Arêde está na Venezuela a acompanhar os últimos desenvolvimentos.

  • António Costa acompanha "com particular cuidado" situação de portugueses na Venezuela

    Mundo

    Na Venezuela continuam os protestos contra o governo de Nicolás Maduro. Centenas de alunos da Universidade Central manifestaram-se esta sexta-feira em Caracas. Entretanto, o primeiro-ministro, António Costa, afirmou que o Governo está a acompanhar "com particular cuidado" a situação da comunidade portuguesa na Venezuela, tendo-se já reunido com representantes dessa comunidade e com o Governo do país.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.