sicnot

Perfil

Mundo

Homem recupera no hospital depois de ter sido mordido por cobra pitão no pénis

Um tailandês que lutou contra uma cobra pitão de três metros que lhe mordeu o pénis quando ele estava agachado na sanita está a recuperar, informou hoje o pessoal do hospital na Tailândia.

Homem recupera no hospital depois de ter sido mordido por cobra pitão no pénis

Homem recupera no hospital depois de ter sido mordido por cobra pitão no pénis

BBTV CH7 Thailand

Atthaporn Boonmakchuay foi hospitalizado depois de ter sido mordido pela cobra, na sua casa, na província de Chachoengsao, a leste de Banguecoque, na quarta-feira.

"Ele pode urinar normalmente e as dores da ferida foram reduzidas", disse à AFP Rungnapa Sehawong, um supervisor no hospital Chularat 11.

O homem de 38 anos está a ser tratado com antibióticos e deverá ter alta nos próximos dias, acrescentou.

Numa entrevista dada a partir da cama do hospital, após o incidente, Atthaporn disse às televisões locais que a sanita parecia estar vazia quando ele se agachou.

"Mas depois de algum tempo (a cobra) saiu da sanita e mordeu-me", disse, explicando que reagiu agarrando a serpente pelo pescoço.

"Primeiro pensei que me tinha dilacerado o pénis, porque (a dor) era mesmo muito forte", acrescentou.

O homem conseguiu, porém, manter as mandíbulas da cobra abertas, enquanto a sua mulher e vizinho acudiram ao local e taparam a cabeça da cobra com um saco de plástico.

Mais tarde uma equipa de resgate destruiu à martelada a sanita e libertou a cobra, segundo a imprensa local.

Lusa

  • Piton ataca homem quando estava na casa de banho
    0:29

    Mundo

    Uma cobra piton de 3 metros mordeu um homem em Banguecoque, na Tailândia. O homem de 38 anos ficou ferido nos órgãos genitais depois de ter sido atacado pela cobra quando estava na casa de banho.Os serviços de emergência foram chamados para retirar a cobra que acabou por ser libertada. O homem continua hospitalizado a recuperar das lesões.

  • Catalunha vs Espanha
    29:35

    Grande Reportagem SIC

    2017 ficará como o ano da Catalunha e de como a região espanhola foi falada em todo o mundo, por causa do grito de independência que não aconteceu. O jornalista Henrique Cymerman esteve na Catalunha e foi um dos poucos repórteres do mundo que conseguiu chegar ao esconderijo do presidente demissionário do Governo catalão, Carles Puigdemont, em Bruxelas.