sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 700 mortos em naufrágios no Mediterrâneo esta semana revela ACNUR

GALERIA DE FOTOS

Pelo menos 700 migrantes morreram afogados esta semana em três naufrágios na costa da Líbia, afirmou hoje o Alto-Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

© Handout . / Reuters

© Handout . / Reuters

© Handout . / Reuters

© Handout . / Reuters

© Handout . / Reuters

© Handout . / Reuters

© Handout . / Reuters

"A situação é caótica, não podemos ter certeza dos números, mas receamos que pelo menos 700 pessoas poderão ter morrido afogadas em três naufrágios esta semana", num dos quais terão morrido mais de 500 pessoas, segundo o porta-voz do ACNUR Federico Fossi, citado pela agência France Presse.

Pelo menos 500 migrantes desapareceram depois de a embarcação de pesca em que seguiam ter naufragado na quinta-feira na costa da Líbia, segundo o testemunho de alguns sobreviventes que deram conta que entre os mortos estariam pelo menos 40 crianças, incluindo, bebés recém-nascidos.

Na quarta-feira, pelo menos 100 pessoas desapareceram na sequência de um naufrágio tendo sido recuperados 45 corpos durante uma operação de busca e salvamento na sequência de um outro naufrágio, na sexta-feira.

"Nunca iremos saber o número exato [de desaparecidos], nunca iremos saber a sua identidade, mas os sobreviventes disseram que morreram mais de 500 pessoas" no naufrágio de quinta-feira, afirmou, por seu turno, Carlota Sami, do ACNUR, num cometário publicado na rede social Twitter.

Já a porta-voz da organização de defesa dos direitos humanos Save the Children na Sicília, Gionanna Di Benedetto, disse que é impossível verificar o número de mortos, mas de acordo com relatos dos sobreviventes, cerca de 1.100 pessoas saíram de Sabratha, na Líbia, na quinta-feira, em duas embarcações de pesca e num bote.

  • Líderes do G7 reúnem-se hoje e amanhã no Japão
    1:49

    Mundo

    Os líderes dos países mais industrializados reúnem-ne hoje e amanhã na Cimeira do G7 no Japão. Antes da reunião de hoje, o presidente do Conselho Europeu pediu mais solidariedade para com os refugiados e lembra que esta é uma crise global. O encontro de dois dias no Japão, centra-se sobretudo na economia mundial e na crise migratória.

  • Refugiados admitem que não há condições no campo de Idomeni
    0:41

    Mundo

    Dezenas de refugiados estão a abandonar de forma independente o campo de Idomeni, no norte da Grécia, junto à fronteira com a Macedónia. Pelo segundo dia consecutivo as autoridades gregas disponibilizam autocarros para a retirada dos cerca de 8 mil residentes no campo, mas muitos preferem fazer-se ao caminho para fugir ao circuito oficial que os levará para outros centros na Grécia. Os refugiados reconhecem que o campo de Idomeni não é opção e que não tem condições para tantas pessoas.

  • "Estamos a investir na nossa própria desgraça"
    0:37
  • Saída dos EUA do acordo de Paris é "uma vergonha"

    Mundo

    O ex-secretário de Estado norte-americano John Kerry considerou esta terça-feira "uma vergonha" a decisão do Presidente Donald Trump de retirar os Estados Unidos do acordo do clima de Paris, garantindo que o povo não acompanha esse gesto de "autodestruição".

  • "Meninas proibidas de usar saias curtas e roupa transparente" para evitar abusos em Timor
    0:50
  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43