sicnot

Perfil

Mundo

Representante da oposição síria nas negociações de paz anuncia demissão

O representante da oposição síria nas negociações de paz para a Síria, Mohammed Allouche, anunciou este domingo a sua demissão, invocando o fracasso das negociações e a continuação dos bombardeamentos do regime de Bashar al-Assad nas zonas rebeldes.

Um rapaz com uma bandeira da oposição síria.

Um rapaz com uma bandeira da oposição síria.

© Bassam Khabieh / Reuters

"As três rondas de negociações (que decorreram em Genebra, sob a égide das Nações Unidas) não tiveram resultados por causa da teimosia do regime e a continuação dos bombardeamentos e agressões ao povo sírio", disse Allouche, membro do órgão político do grupo armado Jaish al-Islam (grupo apoiado pela Arábia Saudita) e que foi nomeado como negociador principal para as conversações com o governo sírio.

"As negociações sem fim afetam no destino do povo e, por isso, anuncio a minha saída da delegação e a minha demissão", afirmou, numa publicação na rede social Twitter.

O representante da oposição síria denunciou também a "incapacidade da comunidade internacional de fazer aplicar as resoluções, nomeadamente as que dizem respeito aos aspetos humanitários, o levantamento dos cercos, a entrada da ajuda, a libertação de prisioneiros e o respeito da trégua".

Allouche referia-se ao acordo russo-americano para a cessação das hostilidades entre o regime e os rebeldes que entrou em vigor a 27 de fevereiro, mas que foi violado em várias ocasiões.

Os bombardeamentos, de ambas as partes, sucedem-se em locais como Alepo e perto da capital, Damasco. O regime sírio recusa a entrada da ajuda em cidades como Daraya, cercada desde 2012.

As conversações, mediadas pela ONU, entre o governo sírio e os grupos da oposição, em Genebra, terminaram a 27 de abril, ao fim de duas semanas, sem quaisquer avanços, ao mesmo tempo que os combates regressavam ao terreno, com a violação do cessar-fogo.

Era esperada uma nova ronda de negociações no final deste mês, mas ainda não foi avançada uma nova data.

O enviado especial da ONU, Staffan de Mistura, disse na quinta-feira ao Conselho de Segurança que tencionava convocar novas negociações logo que possível, mas que isso não acontecerá "antes de duas ou três semanas".

O mediador sublinhou que primeiro é preciso "constatar que há progressos no terreno, em particular no que diz respeito ao cessar-fogo e acesso de ajuda humanitária", antes de um recomeço das negociações entre o governo sírio e a oposição.

Desde o início da revolta contra o regime do presidente Bashar al-Assad, em março de 2011, a guerra na Síria já fez mais de 270 mil mortos e milhões de deslocados e refugiados.

Lusa

  • SIC faz-se à estrada para ouvir eleitores
    2:13
  • Furacão Maria ameaça Ilhas Virgens e Porto Rico

    Mundo

    O furacão Maria "potencialmente catastrófico" está a ameaçar as Ilhas Virgens e o Porto Rico, depois de esta terça-feira ter semeado a destruição na Dominica e provocado um morto e dois desaparecidos na ilha francesa de Guadalupe.

  • Pistolas Nerf podem causar graves lesões nos olhos

    Mundo

    As balas das pistolas Nerf, quando atingem os olhos, podem causar graves lesões. O aviso é de um grupo de médicos de Londres, que recomenda a utilização de óculos protetores e o aumento da idade mínima para a utilização dos brinquedos.

    SIC

  • Investigadores descobrem como transformar gordura "má" em gordura "boa"

    Mundo

    Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington, Estados Unidos, descobriu como converter a gordura corporal "má" em gordura "boa", permitindo queimar mais calorias e atrasar o aumento de peso, num estudo conduzido em ratos. Estes resultados abrem caminho para a possibilidade de desenvolver tratamentos mais eficazes para a obesidade e para a diabetes associada ao aumento de peso em pessoas, segundo os autores.

  • Escola na Croácia usa imagem de Melania Trump para chamar alunos

    Mundo

    "Imagine até onde pode ir com um pouco de inglês", foi com estas palavras que uma escola de inglês da Croácia decidiu promover as suas aulas, juntando ainda a fotografia de Melania Trump ao placard do anúncio. Agora, a primeira-dama norte-americana ameaça levar o Instituo Americki a tribunal. Entretanto, o placard já foi retirado do local.

    SIC