sicnot

Perfil

Mundo

Alinhamento cósmico de Marte e Terra

O planeta Marte atinge o ponto mais próximo da Terra esta noite, quando estiver a "apenas" 76 milhões de quilómetros de distância. Tal momento acontecerá às 22:35 em Portugal.

Marte captado pelo telescópio espacial Hubble a 19 de maio de 2016.

Marte captado pelo telescópio espacial Hubble a 19 de maio de 2016.

NASA

Desde janeiro que o planeta vermelho se tem vindo a aproximar do planeta azul, parecendo cada vez maior para os terráqueos. Não será, no entanto, tão visível como a Lua, que está a uma distância de 384 mil quilómetros. Será de qualquer forma maior do que a estrela mais brilhante do céu noturno, Sirius.

Segundo Observatório Astronómico de Lisboa, Marte será visível na direção sudeste, muito brilhante e muito próximo da Lua.

Este fenómeno acontece a cada 780 dias - chamado oposição - e permite a captação de imagens da superfície de Marte com muito detalhe, como a que foi registada pelo Hubble e publicada pela NASA a 19 de maio.

Será também uma boa oportunidade para os astrónomos amadores verem Marte um pouco mais próximo.

  • "Quem não deve não teme"

    Football Leaks

    O futebolista português Cristiano Ronaldo, questionado sobre a sua alegada fuga ao fisco veiculada pela investigação "Football Leaks", disse que "quem não deve não teme", numa reação difundida esta quinta-feira pela rádio espanhola Onda Cero.

  • Hospitais já registam picos de afluência apesar de casos de gripe serem ainda poucos
    2:13

    País

    A gripe ainda não chegou em força, mas nos últimos dias foram vários os hospitais com grande afluências de doentes, sobretudo idosos e com infeções respiratórias. Em alguns dias desta semana o número de doentes disparou para mais de 600, como disse à SIC o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Universitário de Coimbra.

  • Cerca de 150 civis doentes retirados de Alepo

    Mundo

    Cerca de 150 civis, a maioria doentes ou deficientes, foram retirados na noite de quarta-feira para quinta-feira de um centro de saúde de Aleppo, na parte mais antiga da cidade tomada pelo exército sírio, anunciou a Cruz Vermelha internacional.