sicnot

Perfil

Mundo

Bombardeamentos russos mataram mais de 6 mil pessoas na Síria em 8 meses

Pelo menos 6.340 pessoas, dos quais cerca de 2.000 civis, morreram nos últimos oito meses na Síria em bombardeamentos da aviação russa, aliada do governo de Damasco, segundo dados publicados hoje pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

reuters

Entre os mortos, pelo menos 2.099 eram civis, entre os quais 500 menores de idade e 318 mulheres.

Os ataques da força aérea russa também causaram 2.270 baixas nas fileiras do grupo extremista Estado Islâmico e 1.971 entre as organizações rebeldes sírias, além da Frente Al-Nosra (filial da Al-Qaida na Síria) e do Exército Islâmico do Turquemenistão.

A Rússia começou a 30 de setembro de 2015 uma campanha de bombardeamentos na Síria, cuja guerra civil começou em meados de março de 2011.

Tanto Moscovo como Damasco têm afirmado que os ataques são contra organizações terroristas, mas o Observatório e opositores asseguram que os aviões russos também têm como alvo zonas residenciais e bases de brigadas opositoras, como o Exército Sírio Livre.

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.