sicnot

Perfil

Mundo

Crocodilo leva mulher numa praia da Austrália

Uma mulher desapareceu durante a noite numa praia do norte da Austrália depois de gritar que tinha sido apanhada por um crocodilo. As autoridades temem que tenha sido morta pelo animal.

A mulher tinha ido passear em Thornton Beach, no domingo à noite, no norte do estado de Queensland, antes de decidir dar um mergulho numa área conhecida por ter muitos répteis.

"A mulher estava a nadar com uma amiga, também na casa dos quarenta, quando o incidente ocorreu, às 10:30 (01:30 em Lisboa)", disse a polícia.

O jornal australiano Nine News cita testemunhas que ouviram a mulher a gritar: "Um crocodilo apanhou-me, um crocodilo apanhou-me!".

O responsável da polícia Russel Parker disse que as mulheres - segundo as testemunhas - estavam na água quando uma delas foi agarrada por algo e a sua amiga tetava desesperadamente arrastá-la.

"Elas decidiram nadar no mar apenas com a água pela cintura e, a certa altura, achamos que um crocodilo levou uma das mulheres", disse ao Australian Broadcasting Corporation.

"A amiga deu o alarme junto de uma empresa local e eles alertaram a polícia", acrescentou.

Um helicóptero de resgate foi enviado com equipamento de imagem térmica mas não foi possível encontrá-la. A polícia marítima também não conseguiu fazê-lo e as buscas continuaram hoje.

Parker acrescentou que a sobrevivente estava "muito abalada e chocada" mas parecia ter escapado apenas com escoriações.

O Brisbane Courier-Mail disse que Thornton Beach está próximo de uma baía onde são organizados passeios para ver crocodilos e há muitos avisos em toda a área.

O ataque não é o primeiro naquela zona. Um crocodilo gigante, conhecido como Big Jim, levou uma trabalhadora local, Baryl Wruck, em 1985 quando foi nadar durante a noite num local a uma hora de carro de Thornton Beach.

Os crocodilos são comuns no norte tropical da Austrália e matam uma média de duas pessoas por ano.

Lusa

  • A menina síria que relata a guerra no Twitter está bem, diz o pai

    Mundo

    Bana Alabed, a menina síria de 7 anos que conta no Twitter a luta pela sobrevivência e os horrores da guerra em Alepo, teve de abandonar a sua casa que foi bombardeada mas está bem, disse hoje o seu pai à Agência France Press. A conta esteve fechada domingo, mas foi entretanto reativada e tem hoje uma nova publicação de Bana.

  • Parkinson pode ter início nos intestinos

    Mundo

    Um novo estudo científico vem revelar que a doença de Parkinson pode não estar apenas no cérebro. A doença pode ter início nos intestinos e mais tarde migrar para o cérebro.