sicnot

Perfil

Mundo

Mais de metade das deputadas japonesas já sofreram assédio sexual

Mais de metade das deputadas dos parlamentos regionais do Japão dizem ter sofrido assédio sexual por parte de colegas e eleitores durante campanhas, revela um inquérito da agência Kyodo, publicado hoje por vários meios de comunicação nipónicos.

arquivo ap

À sondagem, realizada entre as 261 mulheres que ocupam cargos políticos no país asiático, responderam 147 deputadas, ou seja, 56,4 por cento das consultadas.

Entre elas, 59,2% disseram ter sofrido assédio sexual por "palavras e ações", durante a sua carreira política.

No questionário, 69% declararam que foram os próprios deputados das suas assembleias que cometeram estes atos, enquanto 53% assegurou ter sofrido algum tipo de assédio por parte de potenciais eleitores durante a época de campanha eleitoral.

Os dados refletem uma vez mais o sexismo latente ou as lacunas em matéria de igualdade de que sofre o Japão - especialmente em áreas como a política - onde as mulheres constituem uma minoria.

Hoje, apenas 9,8% dos assentos políticos estão ocupados por mulheres, segundo dados do Ministério dos Assuntos Internos e Comunicações do Japão.

Entre as agressões pormenorizadas no questionário, mencionam-se casos de deputados que, durante viagens de trabalho, entraram nos quartos da suas colegas para tentar beijá-las "à força".

Também se pormenorizam as agressões de eleitores masculinos que, durante as campanhas, tocaram nas candidatas ou situações em que as deputadas foram obrigadas a servir bebidas aos homens - um costume do Japão feudal que ainda é bem visto no país - "para obterem o seu voto".

O sexismo na política nipónica ficou exposto em junho de 2014, quando uma deputada de Tóquio, Ayaka Shiomura, foi ridicularizada e interrompida por vários colegas do hemiciclo com o grito "Devias de ter antes tu própria um filho" ou "Apressa-te e casa-te" quando defendia mais apoio para as mães trabalhadoras.

  • Novas buscas no Universo Espírito Santo

    Queda do BES

    O Ministério Público voltou a fazer buscas no âmbito dos processos do Universo Espírito Santo. A SIC sabe que ontem e hoje os investigadores recolheram provas em diversos locais do continente e também na Madeira, nomeadamente em residências, empresas e entidades bancárias.

    Notícia SIC

  • Visitar a região afetada pelo fogos é uma forma de ajudar na recuperação
    3:07
  • Carvalhal do Sapo tenta recuperar a vida normal após incêndio
    2:33

    País

    As populações das aldeias de Góis tentam voltar à normalidade, ao fim de vários dias rodeadas por um grande dispositivo de operacionais. A repórter Cristina Freitas esteve hoje em Carvalhal do Sapo, onde se realizou mais um funeral de uma das vítimas do incêndio de Pedrógão Grande.

  • Falta de médicos e de ofertas de emprego preocupa habitantes da Guarda
    5:13
  • "Do ponto de vista interno a candidatura do Porto é a melhor" 
    0:50

    País

    António Costa admite que a candidatura da cidade do Porto para receber a Agência Europeia do Medicamento seria a melhor para Portugal. No entanto o primeiro-ministro diz que é preciso avaliar se a candidatura do Porto é a que tem mais hipóteses de ganhar, quando comparada com outras cidades europeias. 

  • Depois da "provocação", o acidente em cadeia
    0:43