sicnot

Perfil

Mundo

Partido alemão debaixo de fogo após comentário sobre Jérôme Boateng

A Alternativa para a Alemanha (AfD) está debaixo de fogo, após um comentário do vice-presidente do partido sobre o jogador de futebol Jérôme Boateng, do Bayern de Munique e da seleção alemã. Alexander Gauland declarou a um jornal que "as pessoas acham [Boateng] um bom jogador de futebol, mas não o querem um como vizinho".

reuters

O comentário desencadeou uma condenação generalizada imediata.

"Não é a primeira vez que somos confrontados com declarações desse tipo", afirmou. "Não há o que comentar. Essas pessoas perdem a credibilidade por conta própria", respondeu o diretor desportivo da seleção alemã, Oliver Bierhoff.

A declaração de Gauland foi de "baixo nível e inaceitável", afirmou por sua vez o ministro da Justiça, Heiko Maas.

O próprio líder da AfD reagiu aos comentários e pediu desculpas pela "impressão que desencadearam".

As declarações de Gauland foram publicadas na edição de domingo do jornal Frankfurter Allgemeine.

Boateng nasceu em Berlim e é filho de mãe alemã e pai ganês.

Face às reações aos seus comentários, Gauland negou entretanto ter insultado Boateng e afirmou que estava a descrever a forma de pensar de algumas pessoas.

"Eu nunca insultei o senhor Boateng, como é insinuado pelo FAS. Eu não o conheço e jamais pensaria em rebaixá-lo como pesso", disse.

O jornal afirmou que a declaração foi dada numa conversa de Gauland com dois jornalistas e reiterou que ela foi reproduzida corretamente.

  • Eduardo Cabrita nomeado ministro da Administração Interna

    País

    O primeiro-ministro propôs esta quarta-feira ao Presidente da República a nomeação de Eduardo Cabrita para o cargo de ministro da Administração Interna e de Pedro Siza Vieira para ministro Adjunto do primeiro-ministro. A tomada de posse realiza-se no sábado às 09:00.

  • Um pedido de desculpas aos portugueses e um ultimato ao Governo
    3:21
  • Vouzela tenta regressar à normalidade, 8 pessoas morreram no concelho
    2:28

    País

    No concelho de Vouzela, a população começa a voltar à normalidade. Aos poucos a luz e a água estão a voltar e as pessoas começam a ganhar forças para reconstruir aquilo que lhes foi tirado pelos fogos. No entanto, as feridas demoram a sarar e não será fácil esquecer que 80 a 90 por cento deste concelho foi destruído pelos incêndios e oito pessoas morreram.

  • Material de guerra de Tancos encontrado, faltam munições
    1:40
  • "Se os bombeiros não chegam, os vizinhos vão ficar sem casa"
    1:03
  • Madrid admite suspender autonomia da Catalunha
    1:51
  • Alemanha já tem uma versão de Donald Trump... em cera
    1:08