sicnot

Perfil

Mundo

Partido alemão debaixo de fogo após comentário sobre Jérôme Boateng

A Alternativa para a Alemanha (AfD) está debaixo de fogo, após um comentário do vice-presidente do partido sobre o jogador de futebol Jérôme Boateng, do Bayern de Munique e da seleção alemã. Alexander Gauland declarou a um jornal que "as pessoas acham [Boateng] um bom jogador de futebol, mas não o querem um como vizinho".

reuters

O comentário desencadeou uma condenação generalizada imediata.

"Não é a primeira vez que somos confrontados com declarações desse tipo", afirmou. "Não há o que comentar. Essas pessoas perdem a credibilidade por conta própria", respondeu o diretor desportivo da seleção alemã, Oliver Bierhoff.

A declaração de Gauland foi de "baixo nível e inaceitável", afirmou por sua vez o ministro da Justiça, Heiko Maas.

O próprio líder da AfD reagiu aos comentários e pediu desculpas pela "impressão que desencadearam".

As declarações de Gauland foram publicadas na edição de domingo do jornal Frankfurter Allgemeine.

Boateng nasceu em Berlim e é filho de mãe alemã e pai ganês.

Face às reações aos seus comentários, Gauland negou entretanto ter insultado Boateng e afirmou que estava a descrever a forma de pensar de algumas pessoas.

"Eu nunca insultei o senhor Boateng, como é insinuado pelo FAS. Eu não o conheço e jamais pensaria em rebaixá-lo como pesso", disse.

O jornal afirmou que a declaração foi dada numa conversa de Gauland com dois jornalistas e reiterou que ela foi reproduzida corretamente.

  • Corpos de portuguesas trasladados segunda-feira 
    1:27
  • Incendiários vão passar o verão com pulseira eletrónica

    País

    Os tribunais vão poder condenar os incendiários a penas de prisão domiciliária, com pulseira eletrónica, durante as épocas de incêndio. A nova lei foi aprovada na semana passada, na Assembleia da República, e aguarda a promulgação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

  • Estado vai tomar posse de terras abandonadas

    País

    O Governo vai recorrer ao Código Civil para permitir que o Estado tome posse de terras ao abandono. À margem da entrevista ao Expresso, o primeiro-ministro anunciou que o Governo irá acionar o artigo 1345º do Código Civil, que estabelece que as coisas imóveis sem dono conhecido se consideram do património do Estado.

  • "Trump, deixe-me ajudá-lo a escrever o discurso"
    0:47

    Mundo

    Arnold Schwarzenegger diz que Donald Trump tem o dever moral de se opor ao ódio e ao racismo. Num vídeo publicado nas redes sociais, o ator norte-americano e antigo governador da Califórnia encenou o discurso que Donald Trump devia ter. 

  • Hino da SIC tocado pela viola beiroa
    2:22