sicnot

Perfil

Mundo

Polaco em travessia transatlântica de Nova Iorque a Portugal

Um homem polaco de 69 anos partiu no domingo de Nova Iorque em direção a Portugal, na sua terceira travessia transatlântica em caiaque.

Aleksander Doba, eleito aventureiro do ano em 2015 pela National Geographic depois de duas travessias a solo, partiu de Manhattan, incentivado por uma audiência de cerca de 100 pessoas.

A sua primeira travessia aconteceu entre outubro de 2010 e fevereiro de 2011, levando-o a percorrer uma das zonas mais estreitas do oceano, entre a capital senegalesa Dakar e a cidade brasileira de Acarau.

Na segunda viagem, Doba partiu de Lisboa em outubro de 2013 e chegou à Florida em abril do ano seguinte.

No domingo, o polaco começou o que descreveu como a sua viagem "mais difícil", seis mil quilómetros por zonas de tempestade nas águas geladas no Atlântico Norte.

"Sei que esta vai ser a mais difícil das três. A água é fria. Há muito mais correntes e tempestades previstas. Vai ser interessante", disse.

Apesar dos obstáculos, Doba está determinado a chegar a Lisboa a tempo do seu 70.º aniversário, a 09 de setembro.

"Desde o princípio que planeei fazer um círculo", disse, lembrando como planeou a sua aventura da Europa ou África para a América do Sul, depois da América do Sul para os Estado Unidos e daí para a Europa. "O meu sonho é terminar isto", explicou.


Lusa

  • Negócios do fogo
    22:00
  • "Não podemos gastar o dinheiro e depois os filhos e os netos é que pagam"
    2:05

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no habitual espaço de comentário no Jornal da Noite, o reembolso antecipado ao FMI. O comentador da SIC defendeu que seria mais vantajoso se Portugal reembolsasse mais depressa, antes da subida das taxas de juro. Miguel Sousa Tavares considerou ainda que o reembolso da dívida é uma boa notícia, pois seria "desleal" deixar a dívida para "os filhos e os netos" pagarem.

    Miguel Sousa Tavares

  • Os efeitos da tempestade Ana em Portugal
    1:43
  • Porque têm as tempestades nomes?
    0:49

    País

    As tempestades passaram a ter um nome, partilhado pelos serviços de meteorologia de Portugal, França e Espanha. Nuno Moreira, chefe de divisão de previsão meteorológica do IPMA, foi convidado da Edição da Noite da SIC Notícias para explicar que este método é também uma forma de sinalizar a dimensão das tempestades.

  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59

    Mundo

    A tempestade Ana não causou apenas estragos em Portugal, mas também na Galiza, com a queda de árvores e cheias nas zonas ribeirinhas. No norte da Europa, as baixas temperaturas provocaram fortes nevões e paralisaram a Grã-Bretanha, com voos cancelados, escolas fechadas e estradas cortadas.

  • "Meninas proibidas de usar saias curtas e roupa transparente" para evitar abusos em Timor
    0:50
  • "De repente ele estava em cima de mim a beijar-me e a apalpar-me"
    2:43