sicnot

Perfil

Mundo

Polícia brasileira confirma violação de adolescente de 16 anos

A Polícia Civil do Rio de Janeiro confirmou hoje que houve crime de violação de uma adolescente de 16 anos numa favela, mas está ainda a investigar a dimensão do crime, ou seja, se realmente foram 30 os violadores.

Leo Correa

Numa conferência de imprensa ao início da tarde, a delegada Cristina Bento disse que "o estupro está provado" pela publicação de um vídeo na Internet onde a jovem aparece a ser manipulada. No vídeo, é ainda referida uma violação anterior por mais de 30 homens.

"O que eu quero provar é a extensão desse estupro, se foram cinco, 10 ou 30. É isso que essa prisão temporária foi decretada", disse, referindo-se à detenção de seis suspeitos.

Segundo a delegada, se uma pessoa abusa da vítima e outra está olhando, ambas vão responder pelo mesmo crime.

Cristina Bento adiantou que a adolescente "está com medo de falar e não está colaborando, dizendo quem foi", mas acrescentou acreditar que o namorado dela teve participação no caso.

"As meninas são abusadas sexualmente nestas comunidades e não falam por medo dos traficantes. Ela somente veio, porque veio à tona essas imagens. Se não, ela não viria", comentou, ao dizer que o chefe do tráfico no local também está envolvido, porque ele sabe sempre o que acontece no local.

Apesar de não terem sido colhidos indícios de lesão, dado que a vítima foi analisada quatro dias depois, o crime está provado pelo seu depoimento, para além do vídeo.

A delegada Cristina Bento frisou que "o exame de corpo de delito é importante, mas não é determinante".

Não há provas de violência física, até porque a vítima teria sido sedada durante a violação.

Adriane Rego, do Instituto Médico Legal, explicou que, após 48 horas, os vestígios não são os mesmos.

O chefe da Polícia Civil do Rio de Janeiro, Fernando Veloso, afirmou que outros elementos estão a ser integrados no inquérito, mas talvez a polícia não possa referir alguns deles, num caso que está sob segredo de justiça.

O mesmo responsável falou ainda da substituição do coordenador da investigação do caso, dizendo que a delegada agora atribuída é melhor para o "trato com a vítima".

A substituição do comissário Alessandro Thiers foi pedida pela advogada da jovem de 16 anos, que, segundo o chefe da Polícia Civil, "tem um histórico complicado" e pode ter "havido uma questão pessoal ali", que não é prioridade agora.

De acordo com Fernando Veloso, Alessandro Thiers foi afastado do caso porque o seu "nível de stress" estava prejudicando o andamento da investigação.

Entretanto, numa entrevista, a adolescente disse estar "com muito medo" por sofrer ameaças nas redes sociais, com milhares de mensagens de pessoas a dizerem que vão matá-la.

"O próprio delegado culpou-me. Quando eu fui à delegacia, eu não me senti à vontade em nenhum momento. Eu acho que é por isso que muitas mulheres não fazem denúncias. Tentaram incriminar-se, como se eu tivesse culpa por ser estuprada", relatou a jovem.

Lusa

  • Mário Centeno lidera hoje a primeira reunião do Eurogrupo
    1:56
  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Casal que mantinha filhos acorrentados queria participar num reality show
    3:15
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.