sicnot

Perfil

Mundo

Sequestros relacionados com jogo em Macau aumentaram quase um terço no primeiro trimestre

Os crimes relacionados com o jogo em Macau, ocorridos dentro ou fora dos casinos, aumentaram no primeiro trimestre, com o número de sequestros a subir quase um terço, anunciaram hoje as autoridades.

© Tyrone Siu / Reuters

Segundo os dados hoje divulgados pelo secretário para a Segurança de Macau, entre janeiro e março, foram sinalizados 89 casos de sequestro (vulgarmente conhecido por cárcere privado) -- mais 32,8% do que nos primeiros três meses de 2015 -- ocorridos fora dos casinos, envolvendo 241 suspeitos, incluindo 136 detidos, e um total de 94 vítimas.

Os casos de usura também sofreram um significativo aumento (55,9% em termos anuais homólogos), com o registo de 106 ocorrências.

Apesar do aumento, tanto do sequestro como da usura, ambos em termos anuais, o secretário para a Segurança, Wong Sio Chak, destacou a descida na comparação trimestral, que a maioria aconteceu no interior dos casinos, e ainda que não há indícios de que esses crimes extravasem esse ambiente, pelo que a sua ocorrência não teve "impacto na segurança da sociedade de Macau".

Neste sentido, realçou a manutenção de uma "taxa zero" ou "uma casuística muito baixa" da criminalidade grave e violenta, como homicídio, rapto e associação secreta, sendo que, entre janeiro e março, foram registados quatro casos de associação criminosa -- mais um face a igual período de 2015.

No total, foram sinalizados 181 casos no âmbito da criminalidade violenta - mais 24% -, sem que haja registo de homicídios ou raptos, com a subida a ser antes impulsionada em particular pelo aumento dos casos de sequestro e de tráfico de droga.

Em paralelo, como sublinhado no balanço da criminalidade hoje apresentado, a Polícia Judiciária não recebeu "informações sobre qualquer anormalidade no comportamento de associações secretas devido ao ajustamento das receitas do jogo", em queda desde junho de 2014.

"O ajustamento no setor do jogo ainda não trouxe quaisquer consequências para a situação da segurança em Macau", frisou Wong Sio Chak.

Em termos gerais, a criminalidade diminuiu 7,1%, com 3.333 delitos no primeiro trimestre do ano, a maior parte dos quais incluídos no grupo dos crimes contra o património (1.914 casos ou menos 8,6%), liderado pelo furto (868 casos ou menos 8,9%).

Seguem-se, por dimensão, os crimes contra a pessoa - mais 2,8% - que dizem respeito principalmente a ofensas simples à integridade física (371 ou menos quatro casos).

As autoridades sinalizaram ainda nove casos de violação - mais dois - e três de abuso sexual de crianças - mais um do que nos primeiros três meses de 2015.

Já o tráfico de droga aumentou de 28 para 48 casos, enquanto o consumo de 18 para 25.

Os casos de delinquência juvenil subiram de 10 para 16 em termos anuais homólogos.

Em sentido inverso, ressalta a diminuição do número de imigrantes ilegais e/ou pessoas em excesso de permanência para 7.431 - contra os 8.781 sinalizados em igual período do ano passado.

Lusa

  • A morte das sondagens foi ligeiramente exagerada

    Opinião

    Um atentado sem efeitos eleitorais, sondagens que acertaram em praticamente tudo, inexistência do chamado eleitorado envergonhado. E um candidato que se situa no centro político com fortíssimas hipóteses de vencer a segunda volta. As presidenciais francesas tiveram uma chuva de acontecimentos anormais, mas acabam por ser um choque de normalidade. Pelo menos até agora...

    Ricardo Costa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Hoje no Jornal da Noite

  • Pj ainda não fez detenções relacionadas com atropelamento de adepto italiano
    1:52

    Desporto

    As autoridades policiais confirmaram à SIC que o atropelamento que fez este sábado uma vítima mortal, junto ao Estádio da Luz, não terá sido acidental. A Policia Judiciária já saberá quem foi o autor do atropelamento. O homem faria parte do grupo de adeptos do Benfica, que se envolveram em confrontos com adeptos do Sporting.