sicnot

Perfil

Mundo

Centenas de famílias podem estar a servir de escudo humano no Iraque

A ONU está preocupada com a segurança de 300 a 400 famílias iraquianas que podem estar a servir de escudos humanos do grupo extremista Estado Islâmico na cidade de Faluja, que as forças iraquianas tentam há uma semana reconquistar.

© Thaier Al-Sudani / Reuters

Responsáveis das Nações Unidas receberam "informações credíveis" segundo as quais as famílias estão concentradas no centro daquela cidade iraquiana, no centro do país, pelos combatentes do Estado Islâmico (EI) e "não estão autorizadas a abandonar os locais de concentração", disse à comunicação social, de acordo com a agência France Presse, a enviada adjunta da ONU ao Iraque, Lise Grande.

"Isto dá a entender que o Daesh poderá utilizá-las, ou tem a intenção de as utilizar, como escudos humanos", acrescentou.

"Estas famílias estão em grande perigo se houver um confronto militar", preveniu.

As forças armadas iraquianas começaram na passada segunda-feira a penetrar em Faluja, situada a 50 quilómetros a oeste de Bagdade e controlada desde janeiro de 2014 pelos jihadistas do EI. No dia seguinte, porém as forças iraquianas confrontaram-se com uma forte resistência do EI no centro da cidade, onde a segurança de dezenas de milhares de civis suscita preocupações.

As Nações Unidas deram parte dessas preocupações ao governo iraquiano, que abrandou as operações para proteger as famílias encurraladas.

O Governo iraquiano está "muito consciente" da necessidade de proteger os civis durante o assalto, de acordo com Lise Grande, e "as operações estão a prosseguir mais lentamente".

Cerca de cinco mil pessoas conseguiram fugir da cidade, onde ainda se encontram cerca de 50 mil habitantes, ainda segundo Grande. Muitos dos que fugiram de Faluja caminharam durante horas, por vezes debaixo de fogo.

Faluja e Mossul, capital da província de Ninive, no norte, são das duas maiores cidades controladas pelo Estado Islâmico.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.