sicnot

Perfil

Mundo

Hamas executa três condenados à morte

O procurador-geral nomeado pelo movimento de resistência islâmica Hamas, no poder na Faixa de Gaza, anunciou que três condenados à morte foram hoje executados, ao amanhecer e secretamente.

reuters

Ismail Jaber não adiantou de que forma os três homens, condenados por homicídio, foram executados. O Hamas indicou que as famílias das vítimas exigiram a execução das sentenças.

O procurador-geral tinha defendido recentemente que os criminosos de direito comum fossem executados em praça pública, tratamento habitualmente reservado aos palestinianos acusados de colaborar com o inimigo israelita.

Vários dirigentes do Hamas pediram recentemente às autoridades judiciárias, nas mãos do movimento islamita desde que tomou o poder pela força em Gaza, em 2007, a execução de 13 homens atualmente no corredor da morte por crimes de direito comum.

Este apelo levou vários defensores dos direitos humanos e organizações internacionais a pedir ao Hamas que renunciasse às execuções.

Mas o procurador-geral deixou claro que mais condenados poderão ser executados em breve.

"Executar todas as decisões judiciárias é um dever legal para proteger a sociedade", advertiu o seu gabinete.

Em comunicado, o gabinete de Ismail Jaber defendeu a legalidade das condenações e afirmou que "todas as etapas jurídicas" e as "garantias legais dos acusados foram respeitadas" durante o processo

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47