sicnot

Perfil

Mundo

Quénia vai fechar maior campo de refugiados do mundo "até novembro"

O Quénia vai encerrar o maior campo de refugiados do mundo até novembro e enviar os refugiados somalis ali residentes de volta ao seu país em guerra ou para países terceiros, anunciou esta terça-feira o ministro do Interior.

© Thomas Mukoya / Reuters

O campo de Dadaab, situado na fronteira do Quénia com a Somália, acolhe cerca de 350.000 refugiados, a maioria dos quais fugidos à guerra somali que dura há mais de duas décadas.

O Governo queniano anunciou no início deste mês que vai encerrar o campo e criar uma equipa para investigar como isso há de ser feito.

"Quero informar o mundo de que a decisão de encerrar o campo de Dadaab é final", disse o ministro do Interior, Joseph Ole Nkaissery, depois de receber o relatório da equipa.

"Esperamos encerrar o campo o mais tardar em novembro deste ano", precisou.

Segundo o governante, o relatório será partilhado com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

"Pelo nosso lado, vamos preparar um dispositivo de segurança e garantir que é feito da forma mais humana possível", acrescentou, sublinhando que o relatório é "muito claro quanto aos prazos" para assegurar a partida dos refugiados.

"Mas isto é uma operação do ACNUR, nós só estamos lá para os ajudar a devolver os refugiados", disse Joseph Ole Nkaissery.

As instituições humanitárias e a ONU têm expressado descontentamento com o plano de encerramento do campo, ao passo que grupos de direitos humanos alertaram que repatriar refugiados à força seria uma violação do direito internacional.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.