sicnot

Perfil

Mundo

Rússia acusa NATO de agir como durante a Guerra Fria

A Rússia acusou hoje a NATO de recorrer "a esquemas" herdados da Guerra Fria, um dia depois de a Assembleia Parlamentar da Aliança Atlântica ter apelado ao reforço da defesa coletiva face à "ameaça potencial" russa.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Jonathan Ernst / Reuters

"A Aliança utiliza esquemas de segurança próprios da época da Guerra Fria [...] e praticamente convida-nos a regressar ao passado", afirmou o embaixador russo junto da NATO, Alexandr Grouchko, numa entrevista ao jornal oficial Rossiïskaïa Gazeta.

"E com essa tendência as nossas relações continuam a deteriorar-se", acrescentou, frisando que "a Aliança prossegue uma política de 'contenção' da Rússia, apesar dos seus próprios apelos para um diálogo político".

O termo 'contenção' remonta à Guerra Fria e refere-se à política dos Estados Unidos para contrariar a influência soviética.

Na segunda-feira, o presidente da Assembleia Parlamentar da NATO, o norte-americano Michael Turner, referiu que a Rússia representa um desafio "real e sério".

"A NATO não tem alternativa a considerar uma ação agressiva da Rússia contra um membro da Aliança como sendo uma ameaça potencial e adotar respostas adaptadas e proporcionadas", afirmaram numa declaração comum os 250 deputados dos 28 países da organização.

Para o embaixador russo, "a NATO sente-se desconfortável com a ausência de um grande adversário", cuja imagem é "utilizada para fazer a Aliança voltar à vanguarda da cena política internacional" e para convencer a Europa de que a NATO é a única organização capaz de garantir a segurança mundial.

"É uma política deliberada que visa demonstrar +a importância+ da NATO [...] e fazer os europeus gastar em defesa e comprar o equipamento militar norte-americano", disse.

A NATO suspendeu todos os aspetos práticos da cooperação com a Rússia na sequência da anexação da península ucraniana da Crimeia pela Rússia em 2014, mas anunciou conversações com Moscovo antes da próxima cimeira NATO-Rússia, prevista para 08 e 09 de julho em Varsóvia.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".