sicnot

Perfil

Mundo

Rússia acusa NATO de agir como durante a Guerra Fria

A Rússia acusou hoje a NATO de recorrer "a esquemas" herdados da Guerra Fria, um dia depois de a Assembleia Parlamentar da Aliança Atlântica ter apelado ao reforço da defesa coletiva face à "ameaça potencial" russa.

(Arquivo/Reuters)

(Arquivo/Reuters)

© Jonathan Ernst / Reuters

"A Aliança utiliza esquemas de segurança próprios da época da Guerra Fria [...] e praticamente convida-nos a regressar ao passado", afirmou o embaixador russo junto da NATO, Alexandr Grouchko, numa entrevista ao jornal oficial Rossiïskaïa Gazeta.

"E com essa tendência as nossas relações continuam a deteriorar-se", acrescentou, frisando que "a Aliança prossegue uma política de 'contenção' da Rússia, apesar dos seus próprios apelos para um diálogo político".

O termo 'contenção' remonta à Guerra Fria e refere-se à política dos Estados Unidos para contrariar a influência soviética.

Na segunda-feira, o presidente da Assembleia Parlamentar da NATO, o norte-americano Michael Turner, referiu que a Rússia representa um desafio "real e sério".

"A NATO não tem alternativa a considerar uma ação agressiva da Rússia contra um membro da Aliança como sendo uma ameaça potencial e adotar respostas adaptadas e proporcionadas", afirmaram numa declaração comum os 250 deputados dos 28 países da organização.

Para o embaixador russo, "a NATO sente-se desconfortável com a ausência de um grande adversário", cuja imagem é "utilizada para fazer a Aliança voltar à vanguarda da cena política internacional" e para convencer a Europa de que a NATO é a única organização capaz de garantir a segurança mundial.

"É uma política deliberada que visa demonstrar +a importância+ da NATO [...] e fazer os europeus gastar em defesa e comprar o equipamento militar norte-americano", disse.

A NATO suspendeu todos os aspetos práticos da cooperação com a Rússia na sequência da anexação da península ucraniana da Crimeia pela Rússia em 2014, mas anunciou conversações com Moscovo antes da próxima cimeira NATO-Rússia, prevista para 08 e 09 de julho em Varsóvia.

Lusa

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.