sicnot

Perfil

Mundo

Al-Shebab reivindicam atentado contra hotel de Mogadíscio

Os islamitas somalis da al-Shebab reivindicaram um atentado com viatura armadilhada hoje perpetrado contra o hotel Ambassador, no centro da capital somali, que fez um número indeterminado de vítimas, enquanto fontes concordantes relatam combates "em curso" dentro do edifício.

© Feisal Omar / Reuters

"O ataque começou com uma forte explosão e combatentes 'mujahidines' entraram no edifício", afirmou o grupo al-Shebab num comunicado divulgado via Internet.

Por sua vez, um responsável da segurança somali, Abdirasak Ahmed, confirmou à agência de notícias francesa AFP: "Uma viatura armadilhada atingiu um hotel, há civis mortos".

Uma fonte da segurança que solicitou o anonimato declarou que "o hotel Ambassador, onde estão alojados alguns deputados, era o alvo".

A mesma fonte precisou que a explosão, ocorrida pelas 17:40 locais (15:40 em Lisboa), foi seguida de um "ataque complexo" e que "combates com armas de fogo estão ainda em curso".

"Vi vários cadáveres no exterior do hotel, mas não sabemos quantas pessoas estão lá dentro, nem o número de vítimas no interior", explicou uma testemunha, Ibrahim Sheik Nur.

"As forças de segurança estão agora dentro do edifício e toda a zona foi cercada [pela polícia], acrescentou a mesma fonte.

Outra testemunha, Mohamed Elmi, garante ter visto "sete corpos, a maioria carbonizados", devido à explosão que descreveu como "muito forte".

O grupo somali al-Shebab, ligado à Al-Qaida, foi expulso de Mogadíscio em 2011 mas continua a representar uma forte ameaça tanto para a Somália como para o vizinho Quénia, onde realiza ataques frequentes.

Lusa

  • Braga perde com Shakhtar e fica fora dos 16 avos de final da Liga Europa
    3:16
  • Ronaldo não está preocupado com repercussões de eventual fuga fiscal
    1:30

    Football Leaks

    Cristiano Ronaldo diz que quem não deve não teme. O avançado português não se mostra preocupado com as notícias que revelam que o jogador não terá declarado os rendimentos da publicidade ao fisco espanhol. Fontes do Ministério das Finanças do país vizinho confirmaram ao jornal El Mundo que o português está a ser investigado há ano e meio.

  • Dissolução da União Soviética aconteceu há 25 anos

    Mundo

    Assinalam-se esta quinta-feira 25 anos desde o fim do acordo que sustentava a União Soviética. A crise começou em 80, mas aprofundou-se nos anos 90 com a ascensão de movimentos nacionalistas em praticamente todas as repúblicas soviéticas.