sicnot

Perfil

Mundo

Maduro anuncia ações legais em Espanha por "campanha de guerra" contra Venezuela

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, disse hoje que vai apresentar um "conjunto de ações jurídicas internacionais" em Espanha para acabar com uma alegada "campanha de guerra psicológica" contra o país sul-americano.

Nicolas Maduro, Presidente da Venezuela

Nicolas Maduro, Presidente da Venezuela

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

"É espantosa a campanha de guerra em Espanha, eu convoquei o nosso embaixador em Madrid [Mario Isea], (ele) está aqui em Caracas, [e eu] estou a preparar um grupo de juristas espanhóis, europeus e venezuelanos, e vou também fazer um conjunto de ações jurídicas internacionais em Espanha, na Europa, para que a honra da Venezuela seja respeitada", disse Maduro.

O Presidente da Venezuela afirmou, no seu programa de rádio e televisão "Em contacto com Maduro", que com estas ações legais vai pedir "o fim desta campanha de guerra psicológica" na qual se "injeta ódio" para justificar "qualquer ação violenta e de guerra contra o país".

"Vamos pedir uma medida cautelar a favor do direito à paz da Venezuela e da verdade e do direito à verdade do povo espanhol", acrescentou.

Na passada sexta-feira, Maduro disse que está em curso uma campanha, a partir de Madrid, que promove uma invasão estrangeira à Venezuela, como a que foi feita contra o Iraque, com mensagens que, segundo afirmou, foram promovidas pelo então presidente do Governo espanhol José María Aznar.

"O que se faz contra a Venezuela em Madrid é uma campanha de guerra, uma campanha para preparar, o que nunca acontecerá, mas que está nas mentes macabras daqueles que a estão a planear, preparar uma invasão, uma intervenção militar", afirmou então.

Lusa

  • Venezuelano relata dificuldades para comprar comida e medo que se vive nas ruas
    1:13

    Mundo

    O Presidente Nicolas Maduro ameaçou mandar suspender a Constituição, em resposta aos protestos da oposição. A Venezuela vive uma das mais graves crises dos últimos anos com uma inflação prevista para este ano de 700% e escassez generalizada de bens essenciais. A SIC falou com Julio Riquezes, um empresário venezuelano da construção civil, que fala da dificuldade de quem quer comprar comida e não encontra, e também do medo de uma revolta violenta nas ruas.

  • Crise na Venezuela faz crescer mercado negro
    2:53

    Mundo

    Num clima de crescente tensão política e social, a economia paralela na Venezuela tem terreno fértil para crescer. Os enviados da SIC à Venezuela, Sofia Arede e Odacir Júnior estiveram hoje no mercado do Bairro de Petare, uma das maiores favelas do mundo e onde a luta pela sobrevivência corre paralela ao mercado negro.

  • Venezuelanos têm medo de um "banho de sangue"
    1:56

    Mundo

    A falta de alimentos e medicamentos e as longas filas à porta dos supermercados estão a preocupar os venezuelanos que têm receio que o país possa mergulhar numa crise profunda como a que viveu no final da década de 80. Segundo os relatos dos enviados especiais da SIC ao país vive-se um clima de terror e há receio de um "banho de sangue". A jornalista da SIC, Sofia Arêde está na Venezuela a acompanhar os últimos desenvolvimentos.

  • Portugueses na Venezuela temem conflito armado
    3:21

    Mundo

    Entre os portugueses que vivem na Venezuela cresce o temor de que a crise política e económica se transforme num conflito armado. Os enviados da SIC à Venezuela falaram com casal de portugueses que vivem no país para tentar perceber como tentam contornar as dificuldades.

  • Milhões de venezuelanos passam horas nas filas para comprar alimentos e medicamentos
    2:18

    Mundo

    Fazer fila para tentar comprar alimentos ou medicamentos aos preços tabelados pelo Estado passou a fazer parte da rotina de milhões de venezuelanos. Para a esmagadora maioria esta passou a ser a única forma de escapar à inflação galopante que todos os dias faz encolher os salários. A reportagem é dos enviados da SIC à Venezuela, Sofia Arede e Odacir Júnior.