sicnot

Perfil

Mundo

Autoridades dispersam manifestação em Caracas com gás lacrimogéneo

Militares e polícias venezuelanos recorreram hoje a gás lacrimogéneo para dispersar uma manifestação de algumas dezenas de pessoas no centro de Caracas, nas ruas circundantes do palácio presidencial.

Fernando Llano

O protesto - que culminou com a intervenção das forças de segurança, em número substancialmente superior aos manifestantes - tinha começado horas antes junto de estabelecimentos comerciais, com os manifestantes a condenarem a escassez de bens básicos.

Os manifestantes gritaram palavras de ordem como "Nicolás Maduro, o povo tem fome, queremos comida" e bloquearam avenidas do centro da capital venezuelana, provocando engarrafamentos de trânsito e levando à suspensão de carreiras de autocarros.

Apesar da ação policial os manifestantes regressaram por várias vezes à avenida Fuerzas Armadas, gritando "fora, fora" para os militares e "temos fome, queremos comida".

Durante a manifestação, pelo menos 14 jornalistas foram agredidos por alegados simpatizantes do Governo do Presidente venezuelano Nicolás Maduro, grupos de motociclistas armados conhecidos localmente como "coletivos".

Entre os jornalistas agredidos encontram-se duas equipas das estações de televisão estrangeiras Vivo Play e NTN 24.

A Vivo Play denunciou que uma repórter, um operador de câmara e um motorista foram arrastados para fora da viatura em que circulavam, lançados ao chão, e que o equipamento lhes foi roubado sob ameaça de armas.

Imagens difundidas pela Vivo Play, captadas a partir de um edifício, dão conta do momento em que a equipa do canal é atacada pelos homens armados sob o olhar indiferente de dois polícias militares que circulavam numa motocicleta.

A NTN 24 denunciou que uma jornalista daquela estação foi intercetada por um funcionário da Guarda Nacional Bolivariana (polícia militar) que a obrigou a apagar o material de vídeo que tinha gravado, antes de deixá-la abandonar o lugar.

Lusa

  • Costa desvaloriza ameaça e mantém planos de visita a Angola
    2:27

    Economia

    O governo angolano reagiu duramente à acusação do Ministério público portugues contra o vice-presidente de Angola. Luanda diz que a acusação é um sério ataque à República de Angola que pode perturbar as relações entre os dois paises. António Costa desvaloriza a ameaça e mantém os planos de uma visita a Angola na primavera.

  • Brasil já tirou o "pé do chão"
    1:59

    Mundo

    Já começaram os desfiles e festas de carnaval, no Rio de Janeiro.Esta sexta feira foi o início oficial das celebrações com centenas de milhar de pessoas nas ruas até de madrugada.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Atores de Hollywood contra Trump
    1:44

    Mundo

    Centenas de pessoas juntaram-se em mais um protesto contra o presidente dos Estados Unidos. A manifestação, em Beverly Hills, juntou várias estrelas de Hollywood.