sicnot

Perfil

Mundo

Panda nasce em zoo na Bélgica

Um panda deu à luz, esta quinta-feira, num jardim zoológico belga, três meses depois de o zoo ter recorrido à inseminação artificial com ajuda de especialistas chineses.

facebook.com/JardinDesMondes/photos/a.189666927766228.46429.181634965236091/1046633592069553/?type=3&theater

facebook.com/JardinDesMondes/photos/a.189666927766228.46429.181634965236091/1046633592069553/?type=3&theater

facebook.com/JardinDesMondes/photos/pcb.1046587608740818/1046576065408639/?type=3&theater

facebook.com/JardinDesMondes/photos/pcb.1046587608740818/1046576065408639/?type=3&theater

facebook.com/JardinDesMondes/photos/pcb.1046587608740818/1046579208741658/?type=3&theater

facebook.com/JardinDesMondes/photos/pcb.1046587608740818/1046579208741658/?type=3&theater

O nascimento, ocorrido no jardim zoológico Pairi Daiza, aconteceu durante a noite e foi comunicado esta quinta-feira. O Pairi Daiza partilhou as fotografias do panda bébé nas redes sociais, onde se vê a mãe com a cria bébé na boca.

A gravidez de Hao Hao foi anunciada há cerca de duas semanas e foi fruto de inseminação artificial. Depois da Áustria e da Espanha, este é o terceiro país a acolher o nascimento de um panda.

Eric Domb, diretor do zoo, está radiante mas alerta também para o facto de apenas uma em duas crias de panda sobreviverem nos primeiros três meses.

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida