sicnot

Perfil

Mundo

Polónia cria unidades de defesa civil em resposta à ameaça russa

A Polónia vai formar unidades de defesa territorial, constituídas por civis com formação militar, no que é uma resposta à ameaça russa sentida no país, indicou hoje o ministro polaco da Defesa, Antoni Macierewicz.

© Kacper Pempel / Reuters

"Em setembro vai começar o recrutamento dos primeiros membros da defesa territorial", anunciou, citado pela agência France Presse, o governante num congresso de organizações paramilitares em Ostróda (norte).

As decisões sobre a constituição destas unidades e respetivos comandos foram tomadas em abril, acrescentou o ministro da Defesa, de acordo com a agência oficial polaca, PAP.

"A defesa territorial é a nossa resposta aos perigos ligados à guerra híbrida", a tática de infiltração que a Rússia é acusada de ter aplicado na Ucrânia, afirmou Grzegorz Kwasniak, o responsável designado para pôr de pé as forças civis.

De acordo com os planos adotados em abril, a defesa territorial deverá contar com 35 mil efetivos. Cada um dos 16 departamentos administrativos polacos (as voivodias) deverá dispor de uma brigada e o departamento de Mazovie disporá de duas.

O ministro anunciou que será prioritária a constituição das brigadas e batalhões nas voivodias no este do país, designadamente, as unidades de Podlasia, Lublin e de Podkarpacia, regiões consideradas como mais vulneráveis porque mais próximas da Rússia.

A ameaça sentida na Polónia e nos países bálticos pelos acontecimentos na Ucrânia levou à ativação de grupos paramilitares nesses países, presentes também no congresso de Ostróda. O número de voluntários inscritos nestes grupos não tem parado de aumentar nos últimos dois anos.

Na Polónia, os grupos paramilitares Strzelec, criados no início do século XX pelo pai da independência polaca, Jozef Pilsudski, têm atraído numerosos jovens, contando atualmente com 12 mil pessoas.

Numa declaração à AFP, o comandante do Strzelec, Marcin Waszczuk, felicitou-se com a participação estreante dos grupos paramilitares num importante exercício militar -- Anakonda -- na Polónia entre 7 e 17 de junho, que envolverá vários países da NATO.

Lusa

  • Voluntários portugueses rumam ao México com cães de salvamento
    1:59

    Mundo

    Nuno Vieira e Marco Saraiva são voluntários de Braga. Com os seus dois cães, "Koi" e "Yuki", formam uma equipa de resgate e partem esta noite para o México, para ajudar na busca e salvamento de vítimas do terramoto que abalou o país esta terça-feira. A equipa portuguesa faz parte de uma ONG espanhola.

  • Furacão Maria deixa rasto de destruição em Porto Rico
    1:16
  • Sabe onde fica a Nambia? Algures em África, segundo Trump

    Mundo

    "O sistema de saúde na Nambia é incrivelmente autossuficiente", declarou o Presidente dos Estados Unidos num discurso proferido num almoço com líderes africanos. No encontro, realizado esta quarta-feira à margem da 72.ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova Iorque, Donald Trump repetiu o erro. Os utilizadores das redes sociais não perdoaram mais este "lapso" do chefe de Estado norte-americano.

  • DGS garante que não há perigo de dengue
    2:09
  • Episódio da Abelha Maia censurado por queixas de obscenidade

    Cultura

    A plataforma digital Netflix viu-se obrigada a retirar um episódio da Abelha Maia depois das queixas de pais norte-americanos por causa de um "desenho obsceno", em forma de pénis. Aparentemente, terá sido só removido para quem acede nos EUA dado que, ao que a SIC pôde constatar, a partir de Portugal o episódio 35 está disponível.

  • Yoko Ono obriga limonada "John Lemon" a mudar de nome

    Cultura

    A viúva do Beatle John Lennon ameaçou processar uma empresa de bebidas polaca por causa da limonada "John Lemon". Yoko Ono não terá gostado do trocadilho entre Lennon e Lemon (limão, em inglês) e quer ver toda e qualquer garrafa com este rótulo retirada do mercado.

  • Restaurante em prisão na Colômbia serve comida confecionada por detidas
    1:04