sicnot

Perfil

Mundo

Sonda Rosetta já funciona e está "numa órbita a 30 km" do cometa 67P

A Agência Espacial Europeia (ESA) informou hoje que a sonda Rosetta já está a funcionar com normalidade, depois de se ter perdido o contacto com o aparelho durante cerca de 24 horas no fim de semana.

O encontro entre o cometa e o Sol permitiu enriquecer a abundante colheita de dados da sonda europeia Rosetta, que vai permitir compreender melhor o surgimento da vida na Terra. (Arquivo)

O encontro entre o cometa e o Sol permitiu enriquecer a abundante colheita de dados da sonda europeia Rosetta, que vai permitir compreender melhor o surgimento da vida na Terra. (Arquivo)

© NASA NASA / Reuters

"Perdemos o contacto com a sonda no sábado à noite durante perto de 24 horas", disse hoje Patrick Martin, responsável da missão Rosetta na AEE, interrogado pela agência France Presse.

"A sonda voltou a um modo normal e os seus instrumentos recomeçaram a trabalhar", indicou, adiantando que a sonda está "numa órbita a 30 quilómetros" do cometa "Tchouri".

Lançada em 2004, a sonda europeia está em órbita junto ao cometa Tchourioumov-Guérassimenko desde agosto de 2014.

Segundo análises preliminares, os visores que permitem à sonda orientar-se registaram no sábado problemas devido a poeiras. A sonda já tinha tido problemas nos visores a 14 de fevereiro e a 28 de março de 2015.

O fim da missão da Rosetta, que estuda a origem e a evolução do sistema solar, deverá ocorrer "provavelmente" a 30 de setembro, segundo a AEE.

Lusa

  • Corpos das vítimas do acidente aéreo chegaram a Chapecó

    Acidente aéreo na Colômbia

    Chegaram esta manhã a Chapecó, no sul do Brasil, os corpos das vitimas do acidente aéreo que causou a morte de boa parte da equipa de futebol chapecoense. Depois da cerimónia no aeroporto, vai haver um velório coletivo no estádio do clube. A SIC Notícias está direto do aeroporto Chapecó. A correspondente da SIC no Brasil, Ivani Flora, está no aeroporto a acompanhar as cerimónias. O Presidente Michel Temer e outras personalidades do estado brasileiro prestam homenagem às vítimas.

    Direto

  • Ronaldo terá colocado milhões de euros nas Ilhas Virgens britânicas
    4:15

    Desporto

    José Mourinho e Cristiano Ronaldo são apenas dois dos nomes da maior fuga de informação na história do desporto. A plataforma informática Football Leaks forneceu milhões de documentos à revista alemã Der Spiegel, entre os quais documentos que indicam que o capitão da seleção nacional terá colocado milhões de euros da publicidade nas Ilhas Virgens britânicas. Os dados foram analisados por um consórcio de 60 jornalistas, do qual o Expresso faz parte, numa investigação que pode ler este sábado no semanário.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.