sicnot

Perfil

Mundo

Favorita Fujimori perde vantagem a dois dias das eleições no Peru

A candidata presidencial peruana Keiko Fujimori, filha do ex-presidente preso por crimes contra a humanidade, perdeu terreno para o adversário de centro-direita na reta final para as renhidas eleições do próximo domingo, mostraram as sondagens hoje divulgadas.

© Mariana Bazo / Reuters

Fujimori continua a ser a favorita na corrida à Presidência, contra o antigo banqueiro de Wall Street Pedro Pablo Kuczynski, mas, segundo três novas sondagens, a sua margem de avanço superior a cinco pontos percentuais sofreu uma redução.

Uma sondagem realizada nos dias 01 e 02 de junho pela empresa GfK atribuiu a Fujimori, de 41 anos, 50,3 % dos votos, contra 49,7% para Kuczynski, de 77 anos. O intervalo entre ambos situou-se dentro da margem de erro da sondagem, 2,3%.

"É claramente um empate técnico", disse o diretor da GfK, Hernan Chaparro, em conferência de imprensa.

Outra empresa de sondagens, a Datum, indicou que a sua sondagem, realizada a 31 de maio e 01 de junho, dava a Fujimori 52,1% dos votos e 47,9% para Kuczynski, que é conhecido como "PPK".

"PPK é ganhar apoio de votantes indecisos", explicou o diretor da Datum, Urpi Torrado.

A terceira sondagem, efetuada pela consultora CPI, atribuiu 51,6% dos votos a Fujimori e 48,4% a Kuczynski.

Uma sondagem anterior, conduzida a uma semana do escrutínio, dava a Fujimori um avanço de 5,3 pontos percentuais.

Desde então, ela enfrentou um debate televisivo difícil com Kuczynski e uma manifestação maciça contra ela em Lima, a 31 de maio.

A 30 de maio, a candidata que ocupa o terceiro lugar na primeira volta das eleições, a esquerdista Veronika Mendoza, anunciou o seu apoio a Kuczynski.

O diretor da CPI, Manuel Saavedra, estimou que há cerca de 5% de eleitores ainda indecisos, o que é o suficiente para virar o resultado contra a conservadora populista Fujimori, que é popular nas comunidades rurais pobres mas tem também uma elevada taxa de desaprovação.

Muitos peruanos associam-na ao autoritarismo do pai, Alberto Fujimori, que se encontra a cumprir pena de prisão por corrupção e massacre de opositores por ele acusados de terrorismo.

Cerca de 23 milhões de peruanos vão às urnas no domingo para escolher quem sucederá ao Presidente de esquerda Ollanta Humala.

Ambos os candidatos prometeram combater o crime e criar emprego no setor de exportação mineira, que faz do país uma das economias mais fortes da região.

Lusa

  • "Não há um verdadeiro debate democrático em Espanha"
    2:24
    Quadratura do Círculo

    Quadratura do Círculo

    QUINTA-FEIRA 23:00

    No Quadratura do Círculo desta quinta-feira, José Pacheco Pereira disse que este braço de ferro em território espanhol reforça a linha autoritária que existe em Espanha. Jorge Coelho considera que é urgente recorrer à diplomacia para definir um caminho a médio ou a longo prazo. Já o gestor Manuel Queiró afirma que Portugal não deve encarar este referendo com condescendência. 

  • O que separa a Catalunha do resto de Espanha?
    2:12

    Mundo

    Desde 1640, as revoltas catalãs representam a vontade pela distância e pela independência. Numa região que não é reconhecida formalmente como Nação, na Catalunha entende-se e fala-se mais castelhano do que catalão. Mas o que realmente separa a Catalunha do resto de Espanha?

  • A corrida ao iPhone 8 no Japão, China e Austrália
    2:04
  • Óculos inteligentes permitem controlar telemóvel com o nariz
    1:05
  • Defesa de Sócrates diz que junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal
    0:50

    Operação Marquês

    A defesa de José Sócrates diz que a junção do caso Rio Forte à Operação Marquês é ilegal. A aplicação de 900 milhões de euros da PT no BES foi anexada ao processo, por suspeita de luvas pagas por Ricardo Salgado a Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, também arguidos. A defesa do antigo primeiro-ministro já contestou a decisão. Diz que é uma forma de confundir o processo para ocultar, mais uma vez, a falta de provas contra Sócrates.

  • Família Portugal Ramos
    15:01