sicnot

Perfil

Mundo

Nepal inicia drenagem de lago glacial gigante para evitar cheias

As forças armadas do Nepal arrancaram os trabalhos para drenar parcialmente um lago glacial gigante perto do Monte Evereste, por receios de que possíveis cheias ponham em risco milhares de pessoas, indicou hoje um porta-voz militar.

(Arquivo)

(Arquivo)

© STR New / Reuters

Vários cientistas consideram que as alterações climáticas estão a derreter os glaciares dos Himalaias a um ritmo alarmante, criando enormes lagos glaciais que poderão saltar as suas margens, devastando as comunidades nas encostas das montanhas.

O Imja Tsho, situado a uma altitude de 5.010 metros, apenas a 10 quilómetros a sul do maior pico da Terra, é o lago glacial que cresce ao maior ritmo no Nepal.

A área coberta de água do lago cresceu de 0,4 quilómetros quadrados em 1984 para 1,01 quilómetros quadrados em 2009.

"Para minimizar o risco de cheias, o exército nepalês iniciou esforços para baixar o nível das águas no lago Imja através da abertura de um canal", indicou um porta-voz do exército, Tara Bahadur Karki.

Karki acrescentou que será instalado uma comporta hidráulica "operada manualmente para controlar o fluxo de água pelo canal".

Os trabalhos começaram em abril e deverão estar concluídos, segundo o exército nepalês, até ao final do ano.

Eventuais cheias destes lagos poderiam pôr em sério risco as vidas das mais de 56 mil pessoas que vivem nas aldeias das planícies do Terai, até cerca de 50 quilómetros do lago.

O Nepal tem cerca de 3 mil lagos glaciais.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".