sicnot

Perfil

Mundo

Síria autoriza colunas de ajuda humanitária da ONU em 12 zonas cercadas

A Síria autorizou o encaminhamento de ajuda humanitária por colunas terrestres para 12 zonas cercadas durante o mês de junho, anunciaram hoje as Nações Unidas.

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon (Reuters/Arquivo)

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon (Reuters/Arquivo)

© Romeo Ranoco / Reuters

O regime de Damasco também deu luz verde ao fornecimento de ajuda limitada a três outras zonas, mas recusou o acesso de ajuda a outras duas zonas, precisou o gabinete de operações humanitárias da ONU.

Quase 600.000 pessoas, segundo a ONU, vivem na Síria em 19 zonas ou localidades cercadas pelos beligerantes, principalmente pelas tropas do regime, e perto de quatro milhões em zonas de difícil acesso. Muitas delas sofrem de subnutrição.

A França, que preside ao Conselho de Segurança em junho, tinha exortado algumas horas antes a Rússia a pressionar o seu aliado sírio para facilitar o acesso da ajuda humanitária por via terrestre, que é a forma mais eficaz de fornecer ajuda, de acordo com a ONU.

Alguns diplomatas indicaram igualmente hoje que a ONU irá pedir no domingo a autorização da Síria para fazer chegar ajuda humanitária também por via aérea, lançando-a com paraquedas nas zonas mais inacessíveis.

As grandes potências acordaram no mês passado que se a ajuda humanitária àquele país continuasse a ser impedida, a ONU começaria a lançá-la por via aérea a partir de 01 de junho.

Mas o enviado especial adjunto da ONU para a Síria, Ramzy Ezzeldin Ramzy, explicou na quinta-feira em Genebra que o envio de ajuda por via aérea não está "iminente", dada a complexidade da operação e a necessidade de ter luz verde do regime do Presidente, Bashar al-Assad.

"Deverá haver largadas de ajuda nos locais aos quais o acesso por via terrestre é negado", disse hoje o embaixador britânico na ONU, Matthew Rycroft.

A guerra na Síria fez 280.000 mortos desde março de 2011 e obrigou a abandonarem as sua casas mais de metade da população.

O processo de paz está agonizante desde a demissão, no domingo, do chefe dos negociadores da oposição síria, Mohammed Alluche, que tinha condenado a continuação dos bombardeamentos do regime e "a incapacidade da comunidade internacional para fazer aplicar as suas resoluções, nomeadamente no que diz respeito ao aspeto humanitário".

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.