sicnot

Perfil

Mundo

Obama homenageia o "lendário" pugilista que "abalou o mundo"

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, homenageou hoje o "lendário" pugilista Mohamed Ali, que morreu na sexta-feira, saudando o homem "que abalou o mundo" e "lutou pelo que era justo".

© Yuri Gripas / Reuters

"A sua luta fora do ringue custou-lhe o título e rendeu-lhe muitos inimigos. Mas Ali manteve-se firme", disse o primeiro Presidente negro na história dos Estados Unidos, numa alusão à luta de Mohamed Ali na luta pelos direitos civis.

Também o antigo Presidente norte-americano Bill Clinton e sua mulher Hilary, candidata à Casa Branca, expressaram hoje a sua tristeza pela morte do pugilista, aos 74 anos, referindo ter orgulho de ter sido amigo de um homem "que superou sua lenda".

"Hillary e eu estamos profundamente tristes com a morte de Mohamed Ali", escreve Bill Clinton em um comunicado.

"Desde o dia em que ganhou a medalha de ouro olímpica em 1960, os fãs de boxe de todo o mundo sabiam que estavam enfrentando uma aliança de graça e beleza, velocidade e força sem precedentes", acrescenta o texto do presidente.

"Vimo-lo crescer desde a juventude impetuosa para a vida adulta plena de religião e crenças que o levaram a fazer escolhas difíceis e a aceitar as consequências", acrescenta.

"Pelo caminho vimo-lo ter coragem no ringue, ser um modelo para os jovens, cheio de compaixão para com os necessitados e ser forte e bem-humorado para lutar com os seus problemas de saúde", acrescenta.

Bill Clinton acrescenta sentir-se honrado por ter agraciado o pugilista com uma medalha presidencial, de o ter visto acender a chama olímpica e de ter sido amigo de Mohamed Ali, pelo que envia condolências à mulher do pugilista, Lonnie, aos filhos e restante família.

Já o ex-Beatle Paul McCartney disse hoje que o pugilista era uma pessoa "boa e afável", que era um "grande".

"Gostava deste homem. Foi genial desde o primeiro momento em que nos conhecemos em Miami e nas numerosas ocasiões em que nos cruzámos ao largo dos anos", disse hoje o músico britânico num breve comunicado ao recordar o encontro do pugilista com o quarteto de Liverpool nos anos de 1960.

"Além de ser um grande pugilista, era um homem bom, afável, com um grande sentido de humor. Sabia sacar um baralho de cartas do bolso e fazer um truque sem se importar com a importância da ocasião", acrescentou o ex-Beatle.

"O mundo perdeu um homem verdadeiramente grande", frisou Paul McCartney.

Pouco antes também o ex-Beatle Ringo Star disse "Deus abençoe Mohamed Ali, paz e amor para toda a sua família".

O lendário ex-campeão mundial de boxe, na categoria de pesos pesados, Mohamed Ali, morreu na sexta-feira aos 74 anos, num hospital em Phoenix, no estado do Arizona, nos Estados Unidos, depois de um combate de 32 anos contra a doença de Parkison, anunciou o porta-voz da família, Bob Gunnell.

O ex-pugilista tinha sido internado no hospital devido a problemas respiratórios, segundo informação do porta-voz da família.

Mohamed Ali, que foi campeão mundial de pesados em 1964, 1974 e 1978, já tinha sido hospitalizado no início do ano passado com uma infeção do trato urinário.

Considerado o maior pugilista da história da modalidade, Ali fez a sua última aparição pública em abril, num evento para arrecadar fundos para organizações de caridade no Arizona.

Lusa