sicnot

Perfil

Mundo

Aliança liderada pelo Podemos poderá ultrapassar socialistas nas eleições espanholas

A coligação de esquerda liderada pelo Podemos poderá ultrapassar os socialistas na repetição das eleições gerais que se realizam em Espanha a 26 de junho, segundo três sondagens hoje divulgadas.

© Andrea Comas / Reuters

As sondagens hoje publicadas pelos diários El Pais, El Mundo e Espanol indicam que o Partido Popular do primeiro-ministro conservador, Mariano Rajoy, está, no entanto, em primeiro lugar com 27,7% a 31% dos votos, aquém da maioria parlamentar.

Este resultado é comparável ao que o Partido Popular (PP) espanhol obteve a 20 de dezembro nas eleições gerais (28,7%) e que não permitiu que houvesse uma maioria parlamentar e se formasse um governo.

Os socialistas do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), contudo, poderão descer do segundo para o terceiro lugar, com 20,2% a 21,6% dos votos, enquanto a aliança Unidos Podemos, que congrega o Podemos e a Esquerda Unida, poderia alcançar entre 23,7% a 25,6% dos votos.

Os socialistas há muito tempo lideram a esquerda em Espanha, mas têm vindo a perder apoio desde as eleições gerais de 2011, quando foram afastados do poder pelo Partido Popular.

Em dezembro passado, os socialistas obtiveram 22% dos votos, logo seguidos pelo Podemos com 20,7%.

O Podemos, partido que apoia o Syriza na Grécia, formou em maio uma aliança com a Esquerda Unida, para concorrer em conjunto às eleições de 26 de junho.

O partido centrista Ciudadanos poderá alcançar entre 14%a 16,6% dos votos, segundo as sondagens hoje divulgadas pelos três jornais espanhóis, quando em dezembro de 2015 obteve 13,9% dos votos.

O Podemos liderado por Pablo Iglesias e os seus aliados da Esquerda Unida tem vindo a adotar um tom mais conciliador com os socialistas, o que poderá vir a facilitar a formação de um governo depois das eleições.

Se os resultados das sondagens se confirmarem nas urnas, a 26 de junho, os socialistas terão de enfrentar "uma escolha difícil", de acordo com os três diários espanhóis.

Ao terem de apoiar o Partido Popular para formar governo, os socialistas correm o risco de alienarem os apoiantes mais à esquerda e se apostarem num governo do Podemos estarão a comprometer o apoio dos seus eleitores mais ao centro.

A Espanha está a ser governada por um executivo de gestão, com poderes limitados, desde 20 de dezembro passado.

As três sondagens eleitorais realizaram-se entre 31 maio e 3 de junho.

Lusa

  • Partidos vão apresentar propostas alternativas à descida da TSU
    2:52

    TSU

    O Presidente da República defende a redução da Taxa Social Única mas deixa a porta aberta a outra via para compensar o aumento do salário mínimo. PCP e Bloco de Esquerda insistem que não pode haver contrapartidas que estimulem os salários baixos mas admitem outras formas de aliviar as empresas. À direita, também o CDS irá apresentar propostas.

  • Deputado do PS abandona partido e pode colocar em causa maioria parlamentar
    2:28

    País

    Domingos Pereira foi eleito pelo círculo de Braga. Agora, vai demitir-se do Partido Socialista e entregar o cartão de militante. Contudo, mantém-se no Parlamento, passando assim a deputado independente na Assembleia da República. Pode estar em causa a maioria parlamentar quando o PCP se abstiver.

    Notícia SIC

  • Pedro Dias recusou mostrar caligrafia
    2:29

    País

    Pedro Dias forneceu esta segunda-feira ADN aos peritos do laboratório da polícia científica. O suspeito dos crimes de Aguiar da Beira também foi intimado a entregar amostras da própria caligrafia, mas recusou fazê-lo.

  • Autoridades italianas prosseguem buscas por desaparecidos em avalancha
    0:54
  • "O México não acredita em muros"
    0:45

    Mundo

    Em resposta a Donald Trump, o Presidente mexicano diz que o país não acredita em muros, mas em pontes. Enrique Peña Nieto diz ainda que o México vai procurar dialogar com os Estados Unidos sem confrontos, mas também sem submissão.

  • Carolina do Mónaco celebra o 60.º aniversário
    2:13

    Mundo

    Carolina do Mónaco celebra esta segunda-feira o 60.º aniversário. Em 60 anos, foi criança mediática, jovem rebelde e, agora, matriarca sem ser rainha. Carolina do Mónaco nunca saiu das revistas, por ser filha de Grace Kelly e Rainier do Mónaco, por ter somado namorados pouco recomendáveis para princesas, por ter perdido o pai dos seus filhos num terrível acidente.

  • Ator morre baleado durante gravações de videoclip na Austrália

    Mundo

    Um ator morreu depois de ter sido baleado durante as gravações de um videoclip da banda Bliss n Eso, na cidade australiana de Brisbane. A vítima foi identificada como Johann Ofner, de 28 anos. O homem chegou a receber a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos.