sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 32 mortos em Alepo devido a bombardeios da aviação nacional

Pelo menos 32 pessoas, entre elas uma mulher e três menores, morreram hoje nos bombardeamentos da aviação síria contra vários bairros na cidade de Alepo, no norte, informou o Observatório dos Direitos Humanos Sírio.

(arquivo)

(arquivo)

Os bombardeios foram lançados por caças e helicópteros sírios contra os bairros de Al Qatavi, Karam al Yabal, Yesr al Hach, Al Maiser, Al Zabdiya e na zona de Castilo, sob o controlo dos rebeldes.

Noutra zona, oito pessoas morreram, entre elas uma mulher, devido aos bombardeios perpetrados pelos rebeldes contra os bairros de Al Muhafaza e Al Tilal, entre outras zonas controladas pelo regime, adiantou a organização não governamental, citada pela Efe.

Segundo o Observatório, em ambas as zonas prevê-se que o número de mortes venha a aumentar, já que existem mais de 200 feridos, alguns deles em estado grave.

Em resultado destes ataques, aumenta para 519, entre eles 108 menores e 78 mulheres, o número de mortes registadas em Alepo desde 22 de abril.

Desde 2012, o regime sírio controla os bairros ocidentais de Alepo e as fações rebeldes e islamitas controlam a parte oriental.

Apesar das tréguas declaradas em Alepo com a mediação internacional dos Estados Unidos e Rússia, a violência aumentou nas últimas semanas na cidade, a segunda mais importante da Síria, e em toda a província.

Lusa

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite