sicnot

Perfil

Mundo

Suíça referenda criação de Rendimento Básico Incondicional

A proposta de criação de Rendimento Básico Incondicional visa substituir os vários benefícios sociais. Em causa está garantir a todos os cidadãos um rendimento básico que permita assegurar a subsistência.O Rendimento básico incondicional foi proposto por 100 mil subscritores, que sugeriram como valor base o valor de 2.264 euros por adulto e por mês.

© Ruben Sprich / Reuters

Os portugueses com direito de voto na Suíça vão pouco às urnas e o referendo de hoje sobre o Rendimento Básico Incondicional (RBI) não deverá ser exceção, antecipam dois conselheiros das Comunidades.

A Suíça torna-se hoje no primeiro país a votar a criação de um rendimento mínimo para todos, que substitua os vários benefícios sociais existentes no país.

Porém -- e apesar de que, segundo estimativas do conselheiro das Comunidades Portuguesas em Zurique, 70 por cento dos "280 e tal mil" imigrantes portugueses registados na Suíça poderiam beneficiar do RBI --, poucos portugueses deverão exercer hoje o seu direito de voto.

"Há muito cidadão" português "que pode votar", porque tem dupla nacionalidade, mas "não o faz", lamenta Domingos Pereira.

O conselheiro reconhece que "o sistema de votação na Suíça é bastante complicado" e, por isso, está a promover sessões de esclarecimento.

Segundo o site Swissinfo, os cidadãos suíços votam, em média, quatro vezes por ano para se exprimir sobre os temas mais variados, seja a nível federal, cantonal ou comunal (municipal).

Neste domingo, os eleitores vão votar em cinco referendos nacionais, seis referendos regionais e um local.

Ora, isso significa "12 boletins de voto num só envelope, com três livrinhos com opiniões" sobre a votação, contabiliza Domingos Pereira. "Quando chega a respetiva carta a casa, automaticamente botam-na fora. Isso não só acontece com a nossa comunidade, mas com os estrangeiros em geral", equipara.

A nova geração de imigrantes, mais jovem e qualificada, estaria em condições de participar mais ativamente, mas também estes se sujeitam "a todos os tipos de situações", o que "os leva a caírem por vezes em mãos de patrões menos sérios", conta, lamentando que, "muitas vezes", esses patrões tenham nacionalidade portuguesa.

"A Suíça é o segundo país do mundo onde a imigração portuguesa mais tem aumentado", destaca José Sebastião, conselheiro das Comunidades Portuguesas em Genebra.

O fluxo "tem aumentado em flecha", resume, recordando que a imigração para a Suíça "explodiu" durante a legislatura do Governo anterior. "Não penso que tenha parado, talvez tenha acalmado, mas parado não", garante, referindo-se ao presente.

De qualquer forma, o aumento de portugueses não tem significado mais envolvimento. "O grande problema é esse", reconhece o conselheiro. "Tem havido uma progressão no aumento dos portugueses que votam. Infelizmente, estamos muito aquém da participação cívica que devia de ser", lamenta.

Sobre o resultado da votação, os dois conselheiros não têm dúvidas de que o RBI será rejeitado.

Ambos concordam que o atual clima "não é favorável" à adoção do RBI, agravado pelo "medo" de os imigrantes estarem "a invadir a Europa", nas palavras de Domingos Pereira.

Mas José Sebastião sublinha que o referendo terá, pelo menos, "o mérito de abrir uma discussão sobre outra sociedade", na Suíça e em toda a Europa.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Votações sobre o mapa judiciário geram tensão no Parlamento
    2:01

    País

    O momento das votações no Parlamento ficou marcado por alguma tensão. Depois de aprovadas, em comissão, as alterações ao mapa judiciário, o PSD opôs-se a que o diploma fosse votado em plenário, uma vez que não fazia parte da versão inicial do guião de votações. A esquerda acusou os sociais-democratas de terem motivações estritamente políticas e não regimentais.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.