sicnot

Perfil

Mundo

Cinco membros de serviços de informações da Jordânia são mortos em ataque terrorista

Cinco membros dos serviços de informações foram mortos hoje num "ataque terrorista" contra o escritório no campo de refugiados palestinianos de Baqa'a, no norte da capital da Jordânia, anunciou o Governo.

Campo de refugiados palestinianos em Raqa, Jordânia. Arquivo/Reuters

Campo de refugiados palestinianos em Raqa, Jordânia. Arquivo/Reuters

© Muhammad Hamed / Reuters

"O escritório dos serviços de informações no campo de Baqa'a foi alvo de um ataque vil hoje, pouco antes das 07:00 horas locais (04:00 horas em Lisboa), que resultou na morte de cinco dos seus membros", anunciou o porta-voz do Governo jordano, Mohammad al-Momani.

Segundo Momani, os serviços de segurança estavam "a investigar as circunstâncias do ataque terrorista e a procurar os culpados".

O porta-voz disse que um guarda, um funcionário e três suboficiais foram mortos no ataque, que coincide com o primeiro dia do mês santo do Ramadão para os muçulmanos.

A Jordânia participa desde 2014 na coligação internacional, liderada pelos Estados Unidos, contra a organização extremista Estado Islâmico (EI) no Iraque e na Síria.

Em março, Amã anunciou que havia frustrado os ataques do grupo Estado Islâmico após uma repressão ampla, que resultou na morte de sete 'jihadistas', o que levantou preocupações sobre a ameaça terrorista na Jordânia, que faz fronteira com a Síria.

  • Proteção Civil garante que já não há desaparecidos
    1:40
  • "Depois de sair da autoestrada o vidro do carro ainda estava a ferver"
    2:01
  • "O fogo chegou de repente. Foi um demónio"
    2:15
  • O desabafo de um empresário que perdeu "uma vida inteira de trabalho" no fogo
    2:08
  • O testemunho emocionado de quem perdeu quase tudo
    2:10
  • As comunicações entre operacionais no combate às chamas em Viseu
    2:27
  • Norte-americana foi à discoteca e tornou-se princesa

    Mundo

    A história de Ariana Austin é quase como um conto de fadas moderno. A jovem vai até ao baile, onde conhece o seu príncipe. Só que a norte-americana foi a uma discoteca e, na altura, não sabia que Joel Makonnen era na verdade um príncipe da Etiópia e que casaria com ele 12 anos depois, tornando-se também ela numa princesa.