sicnot

Perfil

Mundo

EUA preparam leis para primeira missão privada à Lua

O Governo dos Estados Unidos vai aprovar legislação que permitirá, pela primeira vez, a uma empresa privada a realização de uma viagem espacial fora da órbitra terrestre, noticia hoje o Wall Street Journal.

A superfície da Lua fotografada a partir da nave da missão Apollo 11, a 21 de julho de 1969.

A superfície da Lua fotografada a partir da nave da missão Apollo 11, a 21 de julho de 1969.

© NASA NASA / Reuters

O jornal, que cita fontes ligadas ao processo, refere que a decisão, "sem precedentes", vai estabelecer os futuros procedimentos da administração norte-americana sobre missões de empresas privadas no quadro dos tratados internacionais sobre viagens espaciais.

Após a conclusão do eventual enquadramento legal, a empresa Moon Express começa a preparar-se para transportar para a Lua um carregamento de equipamento científico, incluindo um telescópio.

Segundo o Wall Street Journal, a missão à Lua pode vir a decorrer no segundo semestre de 2017.

"Estamos a percorrer o caminho que temos de fazer porque, até ao momento, apenas os governos podem efetuar missões fora da órbitra terrestre", disse ao jornal o fundador e proprietário da Moon Express, Bob Richards.

A eventual aprovação da primeira missão vai abrir possibilidades legais para outras viagens a efetuar por empresas privadas.

A legislação pode vir a incluir missões a asteroides, deteção de lixo espacial, assim como a anunciada intenção do multimilionário norte-americano Elon Musk, que pretende efetuar uma missão ao planeta Marte em 2018.

A Moon Express é uma das 16 companhias que concorrem ao prémio Google Lunar X, que oferece 18 milhões de euros para a primeira equipa privada que conseguir enviar para a superfície lunar um veículo capaz de se deslocar, pelo menos, 500 metros e difundir para a Terra imagens de alta definição.

  • Pablo Bravo: o chileno suspeito de um assalto milionário em Gaia
    6:01

    País

    As autoridades receiam um aumento da violência nos assaltos de redes sul-americanas em Portugal, à semelhança do que tem acontecido noutros países europeus. Pablo Bravo é um chileno com um longo cadastro criminal que, em Portugal, é suspeito de um assalto milionário a um hipermercado, em Gaia e, dias depois, foi detido em flagrante, em Paris, a tentar roubar uma loja de relógios de luxo.

    Notícia SIC

  • Obras para as novas instalações da SIC já começaram
    1:54

    País

    As obras do novo estúdio da SIC e SIC Notícias vão começar. A ampliação do edifício do grupo Impresa vai unir os funcionários do grupo num único espaço, com uma área de 750 metros. O Presidente da Câmara de Oeiras entregou esta terça-feira a licença de obra.

  • Cada vez mais pessoas viajam no Carnaval e Páscoa
    3:08

    Economia

    A procura de viagens na altura do Carnaval e Páscoa tem vindo a aumentar e vários destinos já estão esgotados já que muitas pessoas optam por tirar dias de férias nesta altura do ano. Em contagem decrescente, as agências de viagens não têm tido mãos a medir com promoções e ofertas para destinos variados e adequados a várias bolsas.

  • Jovem indiano acorda a caminho do próprio funeral

    Mundo

    Um jovem indiano chocou os seus pais e amigos, depois de acordar no caminho para o seu próprio funeral. No mês antes, Kumar Marewad foi levado para o hospital após ser mordido por um cão de rua, ficando em estado grave.

  • Carro "desgovernado" entra em loja e atropela cliente

    Mundo

    O cliente de um mini-mercado no condado de Bronx, em Nova Iorque, sobreviveu de forma incrível ao impacto de um automóvel que entrou loja adentro. Apesar da violência das imagens, o homem sobreviveu e conseguiu mesmo sair da loja pelo próprio pé até ser transportado para o hospital.

  • Bilhete de desculpas valeu uma bolsa de estudo

    Mundo

    Um jovem chinês ganhou uma bolsa de estudos no valor de 10 mil yuan (cerca de 1.380 euros), depois de danificar acidentalmente um carro de luxo. Isto, porque após os estragos, o jovem deixou um bilhete de desculpas ao dono, assim como todo o dinheiro que tinha com ele, como compensação.

  • Pulseira deixa sentir os movimentos do bebé ainda na barriga da mãe

    Mundo

    A pulseira Fibo permite que os futuros pais (ou mães) consigam sentir os seus filhos a dar pontapés ainda na barriga da mãe. Desenvolvida por um designer de joias da Dinamarca, a pulseira vai transmitir os movimentos do bebé no útero, de modo a que os pais possam partilhar essa experiência da gravidez.