sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Norte reafirma que vai desenvolver programa nuclear

A Coreia do Norte anunciou hoje que vai fabricar "mais armas nucleares e com maior variedade" e promover a sua política externa, devido ao estatuto internacional alcançado com este programa de armamento, indicaram os media estatais.

© KCNA KCNA / Reuters

A posição das autoridades norte-coreanas é conhecida um dia depois de a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) manifestar a suspeita de um reforço do programa nuclear de Pyongyang para possíveis fins militares.

"Estas armas não foram concebidas como uma ameaça para a paz. Não serão utilizadas a menos que se verifique uma agressão com ataque nuclear", de acordo com a edição de hoje do jornal Rodong, diário oficial do Partido dos Trabalhadores da Coreia do Norte.

Ao mesmo tempo, Pyongyang quer promover uma "política diplomática ativa" e "proporcional ao estatuto global" alcançado com o seu programa de armamento nuclear, indicou o mesmo jornal.

No início de maio, o líder Kim Jong-un voltou a sublinhar a necessidade de desenvolver simultaneamente a economia e o armamento nuclear, durante o VII congresso do Partido dos Trabalhadores, realizado em Pyongyang.

Na segunda-feira, em conferência de imprensa, o diretor-geral da AIEA, Yukiya Amano, disse que a agência tem indícios "da expansão das instalações de enriquecimento (de urânio) e de atividades relacionadas com o reprocessamento" nuclear.

Um porta-voz da AIEA afirmou que "é possível que esteja a ser reprocessado combustível usado" na central de Yongbyon, situada a 90 quilómetros a norte de Pyongyang, a partir da análise de imagens de satélite relativas às atividades nucleares da Coreia do Norte.

O regime norte-coreano efetou quatro ensaios nucleares desde 2006. O mais recente ocorreu em janeiro, quando as autoridades garantiram ter feito explodir uma bomba de hidrogénio, afirmação posta em causa por muitos especialistas e analistas.


Lusa

  • Carro do suspeito de rapto de Maelys fotografado por radar a alta velocidade
    1:16

    Mundo

    Praticamente um mês depois do desaparecimento de Maelys de Araújo, as autoridades francesas continuam a fazer buscas para tentar encontrar a menina lusodescendetnte de 9 anos. Entretanto, um jornal francês revelou que o carro do homem suspeito de rapto terá sido fotografado, por um radar, a alta velocidade na noite do desparecimento.

  • 950 militares cercam a Rocinha, no Rio de Janeiro
    2:36
  • Terra volta a termer no México

    Mundo

    Um sismo de magnitude 6,2, na escala de Richter, foi registado às 05h30, hora local, 23h30, em Lisboa. Até ao momento não há registo de vítimas ou danos materiais.

  • Franceses em protesto contra reformas de Macron
    1:04

    Mundo

    O Presidente francês volta hoje a ser alvo de manifestações contra a reforma laboral. Os protestos foram organizados por Jean Luc Melenchon, o candidato da extrema-esquerda que concorreu contra Macron.

  • Icebergue com 5.800 quilómetros quadrados está a deslocar-se na Antártida

    Mundo

    Um icebergue gigante está a deslocar-se na Antártida em direção ao mar de Weddell segundo as imagens de satélite reveladas. Trata-se do A68, um icebergue quatro vezes maior que a cidade de Londres. Com cerca de 5.800 quilómetros quadrados e triliões de toneladas, A68 é um dos maiores icebergues conhecidos.