sicnot

Perfil

Mundo

Descoberta nova espécie de inseto em Bruxelas

Uma nova espécie de inseto foi descoberta num jardim botânico de Bruxelas, uma raridade na Europa, anunciou hoje o Instituto Real de Ciências Naturais da Bélgica.

© Kacper Pempel / Reuters

"Não é todos os dias que se descobre uma nova espécie na Bélgica!", disse num comunicado o entomologista do Instituto Real de Ciências Naturais da Bélgica (IRSNB), Patrick Grootaert.

Batizado de "Drapetis bruscellensis", o animal foi encontrado graças a uma armadilha de insetos instalada em 2015, no jardim botânico Jean Massart, perto da floresta de Soignes, na periferia da capital belga, segundo o comunicado.

Entre os insetos colhidos em etanol pelos cientistas - um inseto de dois milímetros no tórax, brilhante e negro - captou-lhes a atenção. Só ao estudarem cuidadosamente o ADN e a morfologia do inseto - como as partes genitais, as antenas e as pernas -- é que os cientistas se aperceberam da descoberta.

"É extremamente raro descobrir uma nova espécie na Bélgica. A última descoberta de uma nova espécie de inseto foi há mais de 20 anos", realçou M. Grootaert, explicando que "a fauna da Europa ocidental é a mais catalogada do mundo" e que é, portanto, "difícil fazer ainda mais descobertas".

"Drapetis brucellensis é uma espécie que vive sobretudo nos troncos das árvores e nas folhas, nas quais ela insetos ainda mais pequenos que ela, como os ácaros", pormenorizou o IRSNB.

Lusa

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Itália tenta colocar migrações na agenda do G7 contra vontade dos EUA
    1:45
  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.