sicnot

Perfil

Mundo

Oito pescadores angolanos estiveram à deriva durante quase 20 dias

Um grupo de oito pescadores angolanos, que alegadamente praticavam pesca ilegal em águas nacionais, foi resgatado com vida depois de quase 20 dias à deriva no mar, anunciou hoje a polícia fiscal.

© Mike Hutchings / Reuters

Em declarações à imprensa, o capitão do navio, Tomás David, disse que a embarcação se fez ao mar no dia 19 de maio, tendo registado uma avaria que os deixou à deriva durante esse período.

Tomás David contou que, depois de duas semanas, ficaram sem alimentação e sem comunicação.

Segundo o subcomissário Júlio Vunge, da polícia fiscal, a localização dos pescadores, na zona de Ambriz, província do Bengo, foi possível através de informação fornecida por plataformas petrolíferas.

Já o chefe da capitania do porto, João Batista, disse que a embarcação e a tripulação não têm a documentação regularizada, pelo que serão aplicadas multas.

Lusa

  • Rui Vitória não espera facilidades frente ao Tondela
    1:34

    Desporto

    O líder do campeonato, o Benfica, recebe este domingo o último classificado, o Tondela. Na conferência de antevisão do encontro, Rui Vitória afirmou que não espera facilidades. O treinador do Benfica falou ainda de Sebastian Coates.

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.