sicnot

Perfil

Mundo

Polícia venezuelana bloqueia protesto da oposição

A polícia de intervenção venezuelana impediu hoje que um protesto da oposição se dirigisse para a sede da Comissão eleitoral nacional (CEN) em Caracas, e dispersou a marcha que exigia ao Presidente Nicolás Maduro a convocação de um referendo revogatório.

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

Pela terceira vez nos últimos dias a polícia impediu pela força uma marcha que se dirigia para a CEN, que a oposição acusa de estar a obstruir a convocação do referendo revogatório e proteger um Presidente que acusam de estar a conduzir o país para o colapso.

Os opositores de Maduro consideram que o país latino-americano poderá dirigir-se para um conflito interno caso as autoridades não permitam a realização do referendo sobre a liderança de Maduro, e quando a situação económica e social continua a degradar-se, incluindo no acesso a diversos bens de primeira necessidade.

Cerca de 1.000 pessoas integraram esta marcha, e entoavam a frase "Este governo vai cair", antes da intervenção policial, onde foi utilizado gás pimenta.

A oposição pretende convocar um referendo antes de 10 de janeiro -- o quarto ano do mandato de seis anos de Maduro --, e quando um voto com sucesso permitiria a convocação de novas eleições, e não a transferência de poder para o vice-presidente.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.