sicnot

Perfil

Mundo

China pede ADN a requerentes de passaporte na região de Xinjiang

​Requerentes de passaporte da região chinesa de Xinjiang, onde vivem minorias muçulmanas, terão de passar a apresentar amostras de ADN para terem o documento, revela hoje o jornal oficial Global Times.

© Pascal Lauener / Reuters

Segundo o jornal, há ainda outros requisitos, como a entrega de fotografias tridimensionais ou gravações de voz.

Em algumas zonas de Xijiang têm aumentado, nos últimos anos, os confrontos entre grupos locais e as forças de segurança chinesas, que já provocaram centenas de mortos.

O Governo chinês tem aumentado as medidas de segurança e controlo em Xinjiang nos últimos anos com o argumento de que os confrontos armados e os atentados na zona são obra de grupos terroristas ligados ao extremismo islâmico internacional.

No entanto, esses ataques não costumam ser reivindicados por qualquer organização e grupos no exílio da etnia uigur, uma das principais de Xinjiang, denunciam que Pequim usa a desculpa da segurança para reprimir a cultura e a religião na zona.

Uma das zonas onde estão a ser feitas as novas exigências é Ili onde, segundo o Global Times, os pedidos de passaporte pela população para viagens a Hong Kong, Macau e Taiwan aumentaram cinco vezes no ano passado (de 20 mil para 100 mil), tendo as autoridades reconhecido já que querem baixar os números para os níveis de 2014.

Macau e Hong Kong são duas regiões chinesas mas com administração especial, em respeito pelo princípio "um país, dois sistemas", gozando de ampla autonomia e de liberdades que não existem no resto da China.

Lusa

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.