sicnot

Perfil

Mundo

Desconhecimento do fundo oceânico implica custos elevados

A falta de mapeamento e conhecimento do fundo dos oceanos está a causar custos elevados na exploração petrolífera, na gestão das pescas e também nas investigações de acidentes aéreos, alertaram hoje vários especialistas.

© Regis Duvignau / Reuters

No Dia Mundial dos Oceanos, a Organização Hidrográfica Internacional (IHO, na sigla em inglês) disse que há mapas de menos de dez por cento do fundo oceânico com profundidade superior a 200 metros, apesar de dois terços do planeta Terra serem cobertos de água.

Yves Guillam, do IHO do Mónaco, explicou que os governos não investem no mapeamento dos oceanos porque não há ganhos económicos a curto prazo.

Patrick Poupon, diretor do grupo francês "Pole Mer Bretagne Atlantique", que pretende desenvolver a economia marítima, afirmou à agência noticiosa France Presse que um melhor mapeamento iria ajudar a pesca e exploração mineral e petrolífera, como também a modelagem de ondas, uma ferramenta importante para perceber o impacto de tsunamis.

Na estimativa de um geofísico da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos EUA, o mapeamento da topografia do mar profundo levaria cinco anos e custaria entre dois e três mil milhões de dólares, se estiverem 40 navios a trabalhar.

Walter Smith lembrou que, apesar de serem quantidades elevadas, são menores do que o que a NASA está a investir na sonda que pretende enviar a uma lua de Júpiter, Europa.

O geofísico explicou que é necessária uma previsão precisa do movimento das correntes marítimas na superfície quando se trata das investigações a afogamentos, naufrágios ou queda de aviões no mar e acrescentou que o fraco conhecimento impede a eficácia das investigações.

O problema foi demonstrado em 2009, quando um avião da Air France com 228 passageiros e tripulantes caiu no oceano Atlântico, durante o voo de Rio de Janeiro para Paris. As caixas pretas só foram recuperadas ao fim de quase dois anos, estando a cerca de quatro mil metros de profundidade.

Também o voo MH370 da Malaysia Airlines de março de 2014 permanece um mistério enquanto as caixas pretas não forem encontradas. O avião, que fazia a rota Kuala Lumpur -- Beijing, desapareceu dos radares com 239 pessoas a bordo.

Lusa

  • Militar ferido com gravidade em acidente com Pandur
    1:19

    País

    O acidente em Vila Real que envolveu uma viatura militar fez três feridos. Uma das vítimas ficou em estado grave e teve de ser transportada de helicóptero para o Hospital Santo António do Porto. O militar ficou encarcerado no veículo blindado, o que dificultou os trabalhos de socorro.

  • Ricardo Salgado constituído arguido e interrogado no DCIAP
    2:46

    Operação Marquês

    O ex-presidente do BES está a ser ouvido no DCIAP, a responder às questões do procurador Rosário Teixeira e do inspetor da Autoridade Tributária Paulo Silva. Têm sido levantadas dúvidas quanto ao dinheiro em contas de Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates, e suspeita-se que grande parte desses 20 milhões de euros tenham vindo de sociedades com ligação ao grupo Espírito Santo.

  • Bebé nasce na Ucrânia com ADN de três pais

    Mundo

    Nasceu a 5 de janeiro, na Ucrânia, uma menina filha de um casal infértil graças à ajuda de uma nova técnica de fertilização in vitro, que conta com a colaboração de uma terceira pessoa. De acordo com o britânico The Times, os médicos utilizaram pela primeira vez um método denominado transferência pronuclear. Esta não é, contudo, a primeira vez que nasce um bebé com ADN de três progenitores.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".