sicnot

Perfil

Mundo

Preso polícia brasileiro famoso por acompanhar detidos do Lava Jato

O polícia Newton Ishii, apelidado de "Japonês da Federal" e que ficou conhecido por acompanhar presos da Operação Lava Jato, foi preso terça-feira em Curitiba, pelo crime de facilitação de contrabando.

Newton Ishii e José Dirceu

Newton Ishii e José Dirceu

© Rodolfo Buhrer / Reuters

Newton Ishii e Marcelo Odebrecht

Newton Ishii e Marcelo Odebrecht

© Rodolfo Buhrer / Reuters

Atualmente no cargo de chefe substituto de Operações Especiais da Polícia Federal em Curitiba, Newton Ishii é responsável pela logística e escolta de presos.

Ao conhecer a decisão judicial, Newton Ishii apresentou-se espontaneamente na delegacia.

Segundo o advogado do agente, Oswaldo de Mello Junior, citado pelo portal de Internet G1, Newton Ishii foi condenado a quatro anos, dois meses e 21 dias no âmbito da Operação Sucuri, que descobriu o envolvimento de agentes na entrada de contrabando no país, pela fronteira com o Paraguai, em Foz do Iguaçu.

"O Superior Tribunal de Justiça (STJ) denegou um recurso que nós tínhamos recorrido na semana passada", disse o advogado.

Com a deflagração da Operação Lava Jato, que investiga o maior esquema de corrupção no país, envolvendo dezenas de políticas e várias empresas, Newton Ishii tornou-se famoso, ao aparecer ao lado de empreiteiros, operadores financeiros e políticos detidos.

A fama traduziu-se, inclusive, num tema de uma música, assinada pelo advogado e compositor Thiago Vasconcelos de Souza, que inclui o seguinte trecho: "Ai meu Deus, me dei mal. Bateu a minha porta, o japonês da Federal".

A detenção do agente está a ser abordada nas redes sociais, sendo alvo de piadas, como "japonês da federal diante do espelho falando 'are you talking to me'" (estás a falar comigo, em inglês).

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.