sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 23 mortos em dois ataques suicidas em Bagdad

Pelo menos 23 pessoas morreram, entre as quais quatro soldados, em dois ataques suicidas no norte e a sudeste da capital, Bagdad, um deles reivindicado pelo Daesh.

© Khalid Al Mousily / Reuters

O atentado mais grave, que matou 19 pessoas e feriu 62 no bairro de Nova Bagdad, foi provocado por um condutor que detonou os explosivos do carro-bomba, no sudeste da capital iraquiana.

O grupo jihadista Daesh assumiu a autoria do ataque e identificou o suicida como Abu Muyahid al Iraqi, num comunicado difundido nas redes sociais, mas de autenticidade ainda não confirmada.

Na mesma nota assegurava-se também que os explosivos foram ativados ao pé de um agrupamento de combatentes da milícia pró-governamental Multidão Popular.

Segundo uma fonte policial, o ataque aconteceu perto do cinema "Al Beidaa" e causou, para além das mortes e ferimentos, numerosos danos materiais nos edifícios e veículos em redor.

Quatro soldados morreram e onze pessoas ficaram feridas no segundo atentado, a um quartel militar na zona de Al Tayi, a 30 quilómetros a norte de Bagdad.

O autor do ataque levava um cinturão de explosivos junto ao corpo e detonou-o à entrada das instalações militares.

Nas últimas semanas têm sido registados muitos ataques aos mercados e cafés populares em várias cidades do país, reivindicados na sua maioria pelo Daesh.

No passado dia 17 de maio, pelo menos 36 pessoas morreram e várias dezenas foram feridas, numa nova onda de atentados com a marca do Daesh em Bagdad, que sofreu, nessas datas, a mais grave série de ataques do ano.


Lusa

  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40

    Economia

    Carlos Moedas diz que Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas a propósito da saída do procedimento por défice excessivo. Em entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, o comissário europeu levanta dúvidas sobre a renegociação da dívida e garante que a escolha de Mário Centeno para a liderança do Eurogrupo vai depender do entendimento dos países do euro.

  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48