sicnot

Perfil

Mundo

Keiko Fujimori reconhece derrota nas presidenciais do Peru

A candidata à presidência do Peru, Keiko Fujimori, reconheceu esta sexta-feira a derrota, cinco dias após o escrutínio ganho por Pedro Pablo Kuczynski (centro-direita).

© Mariana Bazo / Reuters

"Aceitamos democraticamente os resultados", declarou Keiko Fujimori, lembrando ao futuro presidente que vai ser uma opositora de peso. O partido de Keiko Fujimori, Fuerza Popular, está em maioria no parlamento.

"Fuerza Popular foi escolhida pela população para o papel de oposição, que vamos cumprir com firmeza. Seremos uma oposição responsável que pensará no futuro do país", acrescentou Keiko Fujimori, rodeada pelos deputados eleitos.

O partido da filha do antigo presidente peruano Alberto Fujimori - a cumprir 25 anos de prisão por corrupção e crimes contra a humanidade - conquistou 73 dos 130 lugares do parlamento nas legislativas de 10 de abril, realizadas ao mesmo tempo que a primeira volta das presidenciais.

Keiko venceu a primeira volta com 39% dos votos contra 21% para Pedro Pablo Kuczynski.

Com uma vantagem de pouco mais de 40 mil votos, num total de 31 milhões de habitantes, Kuczynski vai liderar um país profundamente dividido.

O candidato de centro-direita, cujas iniciais são também as do seu partido, Peruanos por el Kambio (Peruanos pela Mudança), obteve 50,12% dos sufrágios contra 49,88% da rival de direita.

A cerimónia de posse do novo presidente está marcada para 28 de julho.

Lusa

  • O primeiro eclipse solar do ano
    0:57
  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16

    Economia

    A Nokia chegou a ser uma das maiores empresas do mundo devido ao fabrico de telemóveis. Caiu, mas acaba de fazer renascer um dos sucessos de vendas do início do milénio. O anúncio foi feito este domingo, em Barcelona.