sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 2000 pessoas manifestaram-se em Cáceres

A manifestação ibérica pelo encerramento da central nuclear de Almaraz juntou ontem cerca de 2200 pessoas, entre as quais mais de 600 eram portugueses.

Ontem de manhã partiram vários autocarros de Lisboa em direção a Cáceres.

No balanço do protesto, a Quercus diz que desde 1987 que não havia uma participação tão grande contra uma central nuclear. Vários políticos e ambientalistas consideram que a central nucelar é uma bomba relógio.

O ciclo de duração das instalações terminou em 2010 mas está previsto que a central continue a funcionar até 2020.

  • Ambientalistas exigem o fim da central nuclear de Almaraz
    2:42

    Mundo

    Os defensores do ambiente exigem o encerramento da central nuclear de Almaraz, em Espanha, que devia ter fechado há seis anos. As associações ambientalistas dizem que a central é um perigo devido aos problemas na estrutura e no sistema de arrefecimento. A central fica a 100 quilómetros da fronteira e, por isso, portugueses e espanhóis estão a ser convocados para um protesto conjunto.

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23
  • Vidas Suspensas: Delfim 353
    29:30
  • Esquerda contra a venda do Novo Banco
    1:51

    Economia

    O futuro do Novo Banco promete agitar a maioria de esquerda nas próximas semanas. O Bloco de Esquerda e o PCP estão contra os planos de privatização e insistem que a solução é nacionalizar o banco. O Bloco de Esquerda defende que privatizar 75% é o pior de dois mundos. Já o PCP diz que o banco deve ser integrado no setor público.

  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32

    País

    Há cada vez mais homens e idosos a pedirem ajuda à Associação Portuguesa de Apoio à Vítima. Segundo o relatório anual da APAV conhecido esta segunda-feira, foram identificadas quase 10 mil vítimas de violência no ano passado. Cerca de 80% são mulheres casadas e com cerca de 50 anos.