sicnot

Perfil

Mundo

Pelo menos 21 civis morreram em ataques aéreos a cidade da Síria

Pelo menos 21 civis, entre eles cinco crianças, morreram hoje em bombardeamentos de aviação russa ou do regime sírio contra um mercado na cidade de Idleb, no norte da Síria.

© Khalil Ashawi / Reuters

De acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, este número de vítimas mortais ainda é preliminar e é provável que aumente com a gravidade de alguns feridos.

A organização não indica se os ataques aéreos partiram de aviões da força aérea do regime do presidente sírio, Bashar al-Assad, ou da Rússia, aliada do regime de Damasco, capital da Síria.

A maior parte da cidade de Idleb está controlada pela Frente Al-Nusra, ligada à organização terrorista islâmica Al-Qaeda, ou por outras facões armadas rebeldes, pelo que com frequências há bombardeamentos da aviação síria e russa nesta região.

A 31 de maio, pelo menos 23 civis morreram e dezenas ficaram feridos com 'raides' violentos na mesma cidade. Na altura, o Observatório Sírio dos Direitos Humanos imputou os ataques à Rússia, mas Moscovo negou.

A guerra na Síria entrou no sexto ano consecutivo, tendo já feito mais de 280 mil mortos e forçado milhões de pessoas ao exílio.

Lusa

  • Passos nega que resultado das autárquicas ponham em causa liderança do PSD
    7:46
  • PS e PSD trocam acusações sobre Tancos
    1:18
  • Homens vítimas de violência doméstica
    31:17
  • Marcelo mergulha na baía de Luanda
    0:45
  • Marcelo garante que relações com Angola "estão vivas"
    1:50

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa sublinhou esta segunda-feira as boas relações entre Portugal e Angola. À chegada a Luanda para a posse do novo Presidente angolano João Lourenço, o chefe de Estado português aproveitou para tomar um banho de mar.

  • Défice chegou aos 2.034 milhões em agosto
    1:51

    Economia

    O défice do Estado caiu 1.900 milhões de euros até agosto, em comparação com o ano passado. A recuperação da economia ajudou a baixar o défice, com mais receitas e impostos acima do esperado. Já a despesa pública ficou praticamente inalterada e os pagamentos do Estado em atraso subiram.

  • Morreu a egípcia que chegou a pesar 500 quilos

    Mundo

    A egípcia Eman Ahmed Abd El Aty, de 37 anos, que chegou a pesar 500 quilos, morreu num hospital de Abu Dabi, nos Emirados Árabes Unidos, devido a complicações cardíacas na sequência do seu excesso de peso.