sicnot

Perfil

Mundo

Único debate televisivo entre os quatro líderes espanhóis realiza-se hoje

O único debate televisivo entre os líderes das quatro principais forças políticas espanholas domina, hoje, o quarto dia da campanha para as eleições legislativas extraordinárias que vão tentar encontrar uma solução para o impasse político no país.

© Jon Nazca / Reuters

Mariano Rajoy (PP), Pedro Sánchez (PSOE), Pablo Iglesias (Unidos Podemos) e Albert Rivera (Ciudadanos) têm o confronto marcado para as 22:00 de Madrid (21:00 em Lisboa) e desde domingo que reduziram a sua atividade eleitoral ao mínimo para se prepararem para o debate.

A agenda da campanha eleitoral também seria, de qualquer forma hoje às 15:00 (14:00 de Lisboa), condicionada pelo primeiro jogo da seleção da Espanha no Campeonato Europeu de Futebol, contra a República Checa.

Mariano Rajoy, líder do PP (Partido Popular) de direita e presidente do governo de gestão, encara o debate com uma atitude construtiva e pretende fazer uma intervenção "positiva e propositiva", ao mesmo tempo que irá responder aos ataques esperados de todos os seus rivais.

O PSOE (Partido Socialista Operário Espanhol) valoriza aquele que será o único debate de toda a campanha, mas considera que este "não será decisivo" porque "o risco de errar se dilui", acreditando que o formato a quatro é bom para o seu líder, Pedro Sanchez.

O responsável pela aliança Unidos Podemos (uma coligação de radicais de esquerda, comunistas, ecologistas e partidos regionais), Pablo Iglesias, encara o debate com calma e cautela, esperando poder convencer os espanhóis de que é a alternativa ao PP no poder.

O líder do Ciudadanos (liberal do centro), Albert Rivera, vai dar tudo por tudo para que a sua formação não seja vista como irrelevante num sistema político em evolução.

Os partidos políticos espanhóis não conseguiram chegar a um acordo para formar governo na sequência das eleições legislativas de dezembro de 2015.

As últimas sondagens continuam a dar uma vantagem ao PP (29,2%), mas a formação em maio da aliança Unidos Podemos (25,6) permitiu que esta força ultrapassasse o PSOE (21,2%) na intenção de votos dos eleitores.


Lusa

  • "Putin é uma ameaça maior do que o Daesh"
    0:24

    Mundo

    O senador norte-americano John Mccain atacou Vladimir Putin dizendo que é uma ameaça maior do que o Daesh. O antigo candidato à Casa Branca acusa a Rússia de querer destruir a democracia ao tentar manipular o resultado das presidenciais dos Estados Unidos.

  • "Não podemos fazer de Lisboa uma cidade para turistas"
    2:44

    Opinião

    Miguel Sousa Tavares analisou esta segunda-feira, no Jornal da Noite da SIC, o mandato de Fernando Medina na Câmara de Lisboa. O comentador da SIC defendeu que o autarca tem "muitos problemas por resolver" e que a Câmara tem investido "mais na recuperação de zonas em que os lisboetas praticamente não conseguem ir". Sousa Tavares disse ainda que Lisboa não pode ser uma cidade para turistas.

    Miguel Sousa Tavares

  • "É muito importante ceder à tentação de se abolir a liberdade"
    1:06
  • Menos casos de sida em Portugal
    1:44