sicnot

Perfil

Mundo

Companhia aérea islâmica impedida de voar

Seis meses depois de começar a operar, a companhia aérea islâmica da Malásia, Rayani Air, foi impedida de voar por falta de segurança e por problemas administrativos.

ap

ap

ap

ap

O Departamento de Aviação Civil revogou a licença da companhia aérea. A medida segue-se a três meses de suspensão, depois da companhia ter falhado as regulamentações de voo e depois de ter sido conduzida uma auditoria de segurança.

A companhia aérea tem recebido um rol de reclamações sobre consecutivos cancelamento de voos. Em abril, enfrentou ainda greve de pilotos, por atrasos no pagamento de salários.

A companhia chegou a emitir bilhetes de embarque escritos à mão, em voos entre Kuala Lumpur e Kuchingg, o que levantou ainda mais suspeitas sobre os procedimentos de segurança.

A Rayani Air foi lançada em dezembro do ano passado e adotava a sharia como política comercial. Só servia comida halal, o álcool era proibido, a tripulação vestia apenas roupa considerada "simples" e antes de qualquer descolagem er aobrigatório fazer as orações.

Na sua frota tinha dois boeings 737-400, capazes de transportar 180 passageiros, oito pilotos e 50 membros da tripulação.

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.