sicnot

Perfil

Mundo

Operação de coração aberto a Berlusconi decorre hoje em Itália

A operação de coração aberto ao ex-chefe do Governo italiano Silvio Berlusconi, de 79 anos, começou hoje de manhã, anunciou o hospital San Raffael de Milão, em comunicado.

Andrew Medichini

"Começou às 08:00 (06:00 TMG) esta manhã, a operação de substituição da válvula da aorta ao coração do presidente Silvio Berlusconi", referia-se na nota.

A operação deverá durar cerca de quatro horas e Berlusconi passará dois dias nos cuidados intensivos, antes de uma convalescença de várias semanas, precisou o hospital.

A intervenção é conduzida pelo médico Ottavio Alfieri, à frente do serviço de cirurgia cardíaca do estabelecimento hospitalar milanês.

Ao início da manhã, a jovem companheira do ex-chefe de Governo, Francesca Pascale, apareceu visivelmente emocionada, com um lenço na mão, à janela do quarto do multimilionário. Segundo a imprensa italiana, estavam presentes os filhos de Berlusconi.

O magnata dos media, que completa 80 anos a 29 de setembro, deu entrada a 7 de junho no hospital, depois de sofrer subitamente um ataque cardíaco.

"Estou naturalmente preocupado. Mas estou igualmente muito emocionado pelas numerosas manifestações de estima, apoio e afeto que me são enviadas por todos, mesmo da parte de adversários políticos", escreveu hoje, na página de Facebook.

Numa mensagem anterior, na sexta-feira passada, Berlusconi afirmou-se "sereno".

"Enfrento esta etapa delicada confiando-me a Deus, bem como ao profissionalismo extraordinário dos médicos e do pessoal do hospital", declarou.

O atual primeiro-ministro, Matteo Renzi, desejou-lhe "boa sorte", enquanto o chefe do Partido Popular e anti-imigração da Liga do Norte, Matteo Salvini, ora aliado, ora rival à direita, endereçou-lhe as "os melhores votos para que regresse depressa ao campo".

Na quinta-feira, o médico pessoal, Alberto Zangrillo, explicou durante uma conferência de imprensa que Berlusconi foi internado na quarta-feira "em estado grave".

"A sua vida estava em perigo e ele sabia", insistiu.

O presidente da Forza Itália adoeceu a 5 de junho, dia da primeira volta de importantes eleições municipais parciais em Itália.

Na ocasião, votou pela primeira vez após três anos de interdição de direitos cívicos, no âmbito de uma condenação por fraude fiscal, a única definitiva até à data.


Lusa

  • "Não se reconstroem serviços públicos em dois anos"
    0:53

    País

    O Ministro da Saúde diz que os problemas do Serviço Nacional de Saúde não se resolvem em dois anos nem se consegue reverter a trajetória de desinvestimento e delapidação dos serviços públicos até 2019, ou até ao final da legislatura. Em entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Adalberto Campos Fernandes admitiu ainda que é contra a eutanásia, mas garante que o SNS estará pronto a aplicar a lei, se assim for decidido pelo Parlamento.

  • Equipa especial de três magistradas investiga crimes ligados ao futebol
    0:46

    Desporto

    A procuradora-Geral da República criou uma equipa com três magistradas para investigar os inquéritos relativos a crimes ligados ao futebol, que começou a trabalhar no início deste mês, no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP). Na edição do Tempo Extra desta quinta-feira, Rui Santos disse que a equipa promete reultados a curto prazo.

  • Hoje é notícia

    País

    Esta 5ª feira fica marcada pelo debate no Parlamento sobre a paridade, com duas propostas de lei do Governo para aumentar quotas de representação dos sexos de 33,3 para 40% no poder político e nos cargos dirigentes da administração pública. Termina ainda hoje prazo para lesados do BES aderirem a fundo de compensação de perdas. Ao nível internacional, destaque para a proclamação do novo Presidente de Cuba.

  • Mulher de português raptado em Moçambique faz apelo ao Governo
    0:24

    País

    Salomé Sebastião, a mulher do empresário português raptado em julho de 2016, em Moçambique, foi esta quarta-feira ouvida na Comissão Parlamentar de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas, no âmbito da petição entregue na Assembleia da República. A petição, subscrita por mais de quatro mil pessoas, pede aos deputados portugueses que pressionem as autoridades moçambicanas a investigar o paradeiro do português Américo Sebastião.

  • Sismo de magnitude 5,5 no sul do Irão

    Mundo

    Um sismo de magnitude 5,5 atingiu esta quinta-feira o sul do Irão, perto de uma unidade nuclear, abalando o Bahrein e outras áreas ao redor do Golfo Pérsico, segundo o Serviço Geológico dos EUA.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte I)
    35:45

    Operação Marquês

    A acusação da Operação Marquês diz que, em 5 anos, foram pagos quase 36 milhões de euros de luvas a José Sócrates. A maior fatia veio do Grupo Espírito Santo. O Ministério Público fala em pagamentos por decisões políticas sobre negócios da PT, alegadamente em benefício de Ricardo Salgado. Além de Sócrates, também Zeinal Bava e Henrique Granadeiro terão recebido dezenas de milhões de euros do ex-banqueiro. Nesta primeira parte da reportagem "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês", começamos a seguir do rasto desse dinheiro, conduzidos pelas pistas deixadas à investigação, nos registos secretos de um director do Grupo Espírito Santo.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte II)
    24:59

    Operação Marquês

    O Ministério Público estima que, em apenas 8 anos, a ES Enterprises movimentou mais de três mil milhões de euros. E sempre à margem de qualquer controlo. Na tese da Operação Marquês, foi desta empresa fantasma que saiu a maior parte das luvas alegadamente pagas por Ricardo Salgado a José Sócrates, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Hélder Bataglia, por causa dos negócio da PT. Na primeira parte da grande reportagem "Oui, Monsieur - o saco azul do marquês" vimos como o chumbo da OPA da SONAE à PT terá sido o primeiro desses negócios.Agora, olhamos para outros pagamentos milionários e procuramos perceber o que está atrás desse alegado saco azul. A investigação concluiu que era financiado através de operações financeiras complexas, por vezes com dinheiro dos clientes do BES.