sicnot

Perfil

Mundo

Oscar Pistorius "deve pagar pelo seu crime", declara pai de Reeva Steenkamp

O atleta sul-africano Oscar Pistorius "deve pagar pelo seu crime", declarou hoje o pai de Reeva Steenkamp, abatida com quatro tiros pelo seu namorado em fevereiro de 2013, que também disse crer que o crime aconteceu após uma discussão.

reuters

"Ele deve pagar pelo seu crime, perdoar foi muito difícil para mim", declarou Barry Steenkamp, que testemunha pela primeira vez neste processo, durante a audiência para determinação da pena, no tribunal de Pretória.

"Pessoalmente penso que houve uma discussão", disse ainda o pai da modelo, que por diversas vezes não conteve as lágrimas.

Oscar Pistorius foi reconhecido culpado de homicídio, mas a questão da premeditação e de uma eventual discussão nunca foi provada ao longo do processo.

Desde o início do julgamento, em março de 2014, Barry Steenkamp, de 73 anos, nunca tinha testemunhado devido ao seu frágil estado de saúde.

Na noite de 13 para 14 de fevereiro de 2013, Oscar Pistorius matou a sua namorada Reeva Steenkamp, disparando através da porta da casa de banho da sua habitação. O atleta paralímpico sempre afirmou que pensava estar a disparar contra um assaltante.

Condenado por homicídio, Pistorius arrisca 15 anos de prisão. A pena será determinada na audiência em curso, que deverá durar até sexta-feira.

  • Sentença de Oscar Pistorius deverá ser conhecida amanhã
    1:20

    Desporto

    A sentença do atleta paralímpico Oscar Pistorius deverá ser conhecida amanhã. Hoje, no tribunal de Pretória, familiares do atleta e da namorada, ouviram a avaliação do clínico que considera que Pistorius deve ser hospitalizado. O atleta enfrenta uma pena mínima de 15 anos de prisão pelo assassinato de Reeva Stankamp em 2013.

  • Solução governativa à esquerda "devolveu tranquilidade à sociedade"
    0:58

    País

    O primeiro-ministro diz que a atual solução de Governo deve continuar tendo vantagens por ser como é. Ao Expresso, António Costa manifestou-se "muito satisfeito" com a solução governativa encontrada e afirmou que esta "não depende de haver ou não maioria" absoluta na próxima legislatura.

  • O regresso a casa depois do incêndio no Sardoal
    2:43