sicnot

Perfil

Mundo

Venezuelana morre a atravessar rio para comprar medicamentos na Colômbia

Uma mulher de 44 anos morreu afogada quanto tentava atravessar um rio entre a Venezuela e a Colômbia, para adquirir com urgência um medicamento que escasseia em território venezuelano, avança hoje a imprensa local.

O rio Táchira separa a Venezuela da Colômbia

O rio Táchira separa a Venezuela da Colômbia

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

A ocorrência coincide com o fecho da fronteira entre a Venezuela e a Colômbia, ordenado pelo Presidente venezuelano Nicolás Maduro e ainda com a recusa da Venezuela em receber ajuda internacional em medicamentos que, segundo fontes médicas, escasseiam em mais de 80% no país.

A vítima, residente no Estado de Táchira (oeste da Venezuela), faleceu sábado à tarde, quando pretendia chegar ao departamento colombiano de Norte de Santander e foi surpreendida por uma enchente do Rio Táchira.

Segundo o diário La Nación, a vítima, mãe de uma criança, pretendia comprar um medicamento que devia ser tomado diariamente.

A Venezuela recusou na segunda-feira, na assembleia-geral da Organização de Estados Americanos (OEA), a possibilidade de receber ajuda humanitária em medicamentos.

"Acreditamos na ajuda humanitária, mas é diferente usá-la no quadro que se está a usar, que esconde um desejo intervencionista que é inaceitável", disse o embaixador da Venezuela na Assembleia-geral da OEA, Bernardo Álvarez.

Fontes médicas da Venezuela dão conta que a falta de medicamentos e de material médico básico no país ronda os 80%, afetando diversos tipos de doentes, como os hipertensos e os diabéticos.

A 19 de agosto de 2015, Maduro ordenou o encerramento da ponte Simón Bolívar, principal passagem entre a cidade colombiana de Cúcuta e as localidades venezuelanas de San António e Ureña.

Cinco dias depois, as autoridades venezuelanas decretaram o estado de emergência em seis municípios fronteiriços com a Colômbia, justificando a medida com o combate a grupos paramilitares, ao narcotráfico e ao contrabando.

O estado de emergência foi depois estendido a 20 municípios, abrangendo os estados venezuelanos de Táchira, Zúlia e parte de Apure.

Desde o encerramento da fronteira, mais de 1.355 colombianos foram repatriados e mais de 19 mil abandonaram a Venezuela voluntariamente, segundo fontes não oficiais.

Lusa

  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.