sicnot

Perfil

Mundo

Atividade humana causa "provável" do incêndio de Fort McMurray, Canadá

As autoridades do Canadá informaram hoje que o incêndio de grande dimensão de Fort McMurray, no noroeste do país, que obrigou à retirada de mais de 90 mil pessoas em maio foi "provavelmente" causado pela "atividade humana".

© Mark Blinch / Reuters

As causas do incêndio estão ainda sob investigação para determinar se foi um ato criminoso.

As autoridades da província de Alberta, onde teve início o fogo florestal, explicaram que o incêndio - apelidado no Canadá como "a besta" -- continua em curso, mas está contido e não deverá crescer.

O incêndio, detetado a 1 de maio a poucos quilómetros a sul da localidade de Fort McMurray, consumiu 5.900 quilómetros quadrados de floresta.

A rápida expansão do incêndio obrigou à retirada da população de Fort McMurray a 03 de maio.

O incêndio destruiu cerca de 10% de Fort McMurray, uma cidade com cerca de 80 mil habitantes, mas não causou mortos ou feridos.

Lusa

  • Advogados de Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático
    2:13

    Operação Marquês

    Os advogados de José Sócrates queixam-se de bullying processual e mediático e garantem que o antigo primeiro-ministro nunca favoreceu Ricardo Salgado ou o Grupo Espirito Santo. Segundo o Expresso, o presidente da Escom, Helder Bataglia, terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, alegadamente para o amigo José Sócrates.

  • Marcelo diz que é hora de valorizar o poder local
    0:40

    País

    O Presidente da República diz que este é o momento para valorizar o poder local. Sobre a descida da Taxa Social Única, Marcelo Rebelo de Sousa recusou comentar e negou que haja crispação politica entre Governo e oposição.

  • Marine Le Pen diz que Brexit terá efeito dominó na UE
    0:39

    Brexit

    Marine Le Pen diz que o Brexit vai ter um efeito dominó na União Europeia. Durante um congresso da extrema-direita, a líder da Frente Nacional francesa afirmou que a Europa vai despertar este ano em que estão marcadas eleições em vários países, como a Alemanha e a Holanda.