sicnot

Perfil

Mundo

Ondas gravitacionais detetadas diretamente pela segunda vez

Uma equipa internacional de astrofísicos anunciou hoje, nos EUA, uma segunda deteção direta de ondas gravitacionais, quatro meses depois do anúncio da primeira observação do fenómeno, previsto há 100 anos, na Teoria da Relatividade Geral, do físico Albert Einstein.

© Gary Cameron / Reuters

A nova deteção, tal como a primeira, foi feita no Observatório de Interferometria Laser de Ondas Gravitacionais (Laser Interferometer Gravitational Wave Observatory, LIGO, na sigla em inglês), constituído por dois detetores idênticos, na forma de tubos com espelhos nas extremidades, situados a 3.000 quilómetros um do outro, nos Estados Unidos.

As ondas gravitacionais são pequenas ondulações no tecido espaço-tempo, provocadas pela deslocação de um corpo com massa, e que se propagam no Universo à velocidade da luz.

O fenómeno acontece com uma supernova (explosão de uma estrela em fim de vida) ou com duas estrelas de grande massa muito próximas uma da outra, assim como com a colisão de buracos negros (zonas do Universo das quais nada pode escapar, nem mesmo a luz, sendo por isso invisíveis).

As novas ondas gravitacionais, cuja deteção foi hoje anunciada, numa conferência em San Diego, nos Estados Unidos, foram produzidas por outra fusão de dois buracos negros, há 1,4 mil milhões de anos, precisaram astrofísicos.

O sinal das ondas foi captado a 26 de dezembro e, apesar de ser mais fraco do que o primeiro, detetado em setembro, mas anunciado posteriormente, em fevereiro deste ano, foi confirmado igualmente com 99,99 por cento de certeza.

Os dois buracos negros em causa tinham uma massa oito a 14 vezes maior do que a do Sol, para um diâmetro de menos de cem quilómetros.

A sua fusão gerou uma quantidade de energia equivalente à massa do Sol, que foi convertida em ondas gravitacionais, segundo os cientistas.

O novo sinal detetado pelo LIGO provém das 27 últimas órbitas de buracos negros, antes de colidirem.

Lusa

  • Cientistas chineses estudam ondas gravitacionais

    Mundo

    Cientistas chineses revelaram três projetos separados para investigar o fenómeno das ondas gravitacionais, avançou hoje a imprensa estatal, dias após os Estados Unidos terem revelado descobertas que confirmam sua existência.

  • Teoria de Einstein poderá ser confirmada hoje
    1:21

    Mundo

    Poderá estar por horas a confirmação da existência das ondas gravitacionais, defendida por Albert Einstein há um século, na famosa Teoria da Relatividade. As ondas gravitacionais são provocadas pelo movimento de grandes corpos celestes, um fenómeno, que caso seja comprovado, representa um importante passo na descoberta do cosmos.

  • Marcelo condecora hoje Francisco Sá Carneiro a título póstumo
    0:55

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa vai condecorar hoje Francisco Sá Carneiro, a título póstumo. A cerimónia será incluída nas celebrações do 25 de Abril. Também a título póstumo, o Presidente da República vai ainda homenagear o antigo bispo do Porto D. António Ferreira Gomes. As condecorações têm lugar esta tarde no Palácio de Belém para onde já estava marcada a condecoração do arquiteto Siza Vieira. Todos, diz Marcelo, são figuras ligadas à liberdade e democracia.

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Desconhecem-se as causas do incêndio na fábrica da Tratolixo
    0:43

    País

    Os moradores de Trajouce, em São Domingos de Rana, não ganharam para o susto com um incêndio nas instalações da empresa de resíduos Tratolixo.O alerta foi dado por populares e trabalhadores da empresa. O vento foi o maior problema dos bombeiros no combate às chamas durante a noite. No local estiveram 133 homens, apoiados por 51 viaturas.Desconhecem-se para já as causas do incêndio. O incêndio foi circunscrito de madrugada, mas pode demorar algumas horas a ser dominado.

  • Duas execução no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.