sicnot

Perfil

Mundo

Soldado indiano dado como morto há sete anos volta a casa após recuperar a memória

Um soldado indiano que tinha sido dado como morto regressou a casa sete anos mais tarde, depois de um acidente que o fez recuperar a memória.

Arquivo.

Arquivo.

© Amit Dave / Reuters

Dharamveer Singh, de 39 anos, sofreu um acidente em 2009 quando circulava, com outros dois companheiros, numa estrada montanhosa da localidade de Dehradun, no estado de Uttarakhand, explicou ao diário Times of India o seu irmão Ram Niwas.

"O veículo capotou num cruzamento, nenhum dos corpos foi encontrado", acrescentou Niwas, segundo o diário, que refere que os outros dois soldados regressaram desorientados para o seu destacamento.

A mulher do soldado, Manoj Devi, recebeu a certidão de óbito do marido três anos depois, o que lhe permitiu começar a cobrar uma pensão, embora tenha dito que no fundo sabia "que o ia ver de novo".

Isso veio a acontecer na semana passada, quando o homem lhe bateu à porta de casa durante a noite.

Singh explicou à família que não se recordava de nada depois do acidente.

Tudo o que se lembrava, disse o irmão, é que estava na semana passada a mendigar nas ruas de Haridwar, outra cidade de Uttarakhand, quando foi atropelado por um motociclo.

"O condutor levou-o ao hospital e depois de recuperar a consciência deu-se conta de que tinha recuperado a memória", afirmou Nawas.

O militar recebeu do condutor da moto 500 rupias (cerca de 7 dólares), dinheiro com que comprou um bilhete para ir até à sua aldeia, no Rajastão, o maior estado da Índia.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".